André Rodrigues integra equipa Prozis Xtrail Team

Atual bicampeão nacional de Ultra Trail, André Rodrigues é o mais recente reforço da Prozis Xtrail Team, uma das mais recentes equipas do Trail mundial que tem como objetivo ser uma referência mundial dentro de 2 a 3 anos.

 

Gerida pelo espanhol Lolo Díez, a Prozis Xtrail Team, uma equipa criada este ano e que integra atletas de quatro nacionalidades (Portugal, Espanha, Itália e Colômbia), promete várias novidades para 2018.

«Temos a ambição de ser uma das equipas referência mundial dentro de 2 a 3 anos», refere Díez.

 

Prozis Xtrail Team equipped by Berg Outdoor

PROZIS XTRAIL TEAM Equipped by BERG OUTDOORApós a semente lançada em 2017, este projecto internacional prepara-se para crescer e incluir novas ideias, desafios e atletas para 2018.Com o foco em apoiar atletas com grandes ambições, esta equipa será assim o suporte para novas aventuras e objetivos para cerca de 20 atletas de várias nacionalidades.Queres saber quem também se juntou ao desafio?#prozisxtrailteam #exceedyourself#bergoutdoor #intotheworld

Publicado por Prozis Trail Running em Sexta-feira, 3 de Novembro de 2017

 

Para isso, integrou André Rodrigues na equipa, português de Arganil que vê assim um dos seus grandes objetivos alcançados: «Correr nos circuitos internacionais.» 

Refira-se que a Prozis Xtrail Team já conta com dois portugueses na equipa, Lucinda Sousa e Nuno Silva.

LEIA TAMBÉM

Lucinda Sousa: «Não sentirei mais pressão por pertencer a uma equipa internacional»   

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos