João Oliveira é o primeiro vencedor da ALUT, a prova mais longa de Portugal

Num evento que contou com o número limite de 60 atletas, o português João Oliveira foi o grande vencedor da primeira edição da ALUT, evento que atravessou o Algarve entre Alcoutim e o Cabo de São Vicente, no total de 300 km, a corrida mais extensa em território português.

 

Um dos importantes nomes do evento, João Oliveira confirmou o seu favoritismo e foi o primeiro vencedor de uma prova que pretende ser, num futuro próximo, uma das principais corridas do Mundo.

 

 

No total, João Oliveira ultrapassou os exigentes 300 km do evento em 43h06.

João Oliveira, grande vencedor da primeira edição do ALUT – Algarviana Ultra TrailParabéns João. Muito obrigado pela tua confiança!#alut #algarvianaultratrail #turismodoalgarve #visitalgarve #turismodeportugal #visitportugalRegião de Turismo do AlgarveVisitAlgarveTurismo de PortugalVisit PortugalATR – Algarve Trail RunningANA Aeroportos de Portugal

Publicado por ALUT – Algarviana Ultra Trail em Sábado, 2 de Dezembro de 2017

 

Na segunda posição ficou o escocês Paul Giblin.

Paul Giblin é o segundo atleta a solo a terminar o ALUT – Algarviana Ultra Trail.#alut #algarvianaultratrail #turismodoalgarve #visitalgarve #turismodeportugal #visitportugalRegião de Turismo do AlgarveVisitAlgarveTurismo de PortugalVisit Portugal

Publicado por ALUT – Algarviana Ultra Trail em Sábado, 2 de Dezembro de 2017

LEIA TAMBÉM

Bruno Rodrigues: «Acreditamos que apenas 1/3 dos inscritos chegarão ao fim do ALUT»

Começou a maior prova de Trail Running de Portugal

Nós fizemos o ALUT a… andar

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos