Luis Alberto Hernando vence The Rut Mountain Runs

Principal ausente do UTMB, o espanhol Luis Alberto Hernando, bicampeão do Mundo, foi o vencedor da principal prova da The Rut Mountain Runs, em Montana, nos Estados Unidos.

 

Devido às várias lesões sofridas ao longo da temporada, que não o impediram no entanto de vencer o Mundial de Trail na Itália, Luis Alberto Hernando decidiu abdicar do UTMB, uma decisão que causou alguma surpresa no Mundo do Trail, já que, devido ao cartaz da edição deste ano, todos aguardavam a presença do espanhol.

No entanto, Hernando preferiu apostar na The Rut Mountain Runs e, principalmente, na Ultra Pirineu, agendada para 23 de setembro (alcançou a vitória da exigente corrida em 2014), já que um dos objetivos da sua temporada é a conquista do título da World Skyrunner Series, algo que poderia ficar em causa devido ao desgaste que a UTMB provoca aos corpos dos atletas.

Um dos principais nomes da The Rut Mountain Runs (50 km, com um desnível positivo de 3200 metros), o bicampeão mundial Hernando não desiludiu e alcançou o triunfo, somando importantes pontos tendo em vista o que pretende alcançar ainda este ano. O espanhol terminou a corrida com o tempo de 5h10, corrida que liderou do princípio ao fim.

 

Booom ‼️ Luis Alberto Hernando gana la The Rut Mountain Runs en 5h10' tras liderar toda la prueba. No os perdáis sus declaraciones exclusivas al final del video 😉

Publicado por Albert Jorquera em Domingo, 3 de Setembro de 2017

 

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos