Ishhimael Chemtan e Sarah Chepchirchir vencem a Maratona de Lisboa

Os quenianos Ishhimael Chemtan e Sarah Chepchirchir foram os vencedores da Maratona de Lisboa, que, este ano, apresentou um novo percurso, terminando na Praça do Comércio.

 

Chemtan dominou a segunda metade da prova praticamente sozinho. No entanto, nos últimos quilómetros, acabou por ceder e foi apanhado entre o quilómetro 39 e 40 por El Hassan Elabassi, que chegou a “colar” no queniano. Muitos acreditaram que o atleta do Bahrein conseguiria o triunfo, mas Chemtan encontrou as forças necessárias no Cais do Sodré para alcançar o desejado triunfo, com o tempo de 2h10m51.

«Estou feliz por vencer, num percurso bastante duro, ainda mais devido ao calor. Senti fadiga na parte final e tive de gerir a corrida, mas estou feliz com o meu tempo», afirmou no final, que tem como melhor marca pessoal o registo de 2h08m20.

Elabassi alcançou o tempo de 2h10m57, a sua melhor marca pessoal (era de 2h17m57). Na terceira posição ficou Daniel Limo, do Quénia, com 2h15m30.

O melhor português foi Bruno Paixão, com 2h26m24 (sétimo colocado), novo campeão nacional, menos 2m04 que Jorge Varela, segundo melhor português da corrida.

Momento da partida da Maratona de Lisboa
Momento da partida da Maratona de Lisboa

«Senti que conseguiria alcançar a vitória a partir do km 30. Um percurso muito difícil, ainda mais com muito calor», afirmou o português.

Recorde-se que a melhor marca da Maratona masculina é de Samuel Ndunga, com o tempo de 2h08m21.

Campeã de 2016 vence em 2017

Na prova feminina, vitória tranquila de Sarah Chepchirchir, vencedora do ano passado com o melhor tempo de sempre na prova portuguesa, com 2h24m13. A queniana terminou a prova com o registo de 2h27m56 (tem como melhor marca 2h19m47). Na segunda posição ficou a etíope Afera Godfay Berha, com 2h28m44, o seu melhor tempo pessoal (o anterior era de 2h32m44)

«Gostei de vencer novamente aqui em Lisboa, mas hoje o vento e o calor acabaram por dificultar em muito a prova

A melhor portuguesa entre as mulheres foi Doroteia Peixoto, com 2h40m02 (2h32m00), quarta colocada. 

«Estou feliz por ser campeã nacional, mas contava com uma melhor marca. Vinha com o objetivo de superar a minha marca pessoal. Hoje senti que não era o meu dia… Agora é pensar em novos objetivos. Estava particularmente muito calor e, a partir do 5 km, tivemos o vento contra até aqui. Por mais que estejamos resguardados, chega a um ponto que  o corpo paga.»

Partida de Cascais da Rock’n’Roll EDP Maratona de Lisboa

Publicado por Rock 'n' Roll Lisbon Marathon em Sábado, 14 de Outubro de 2017

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

Gostou? Partilhe pelos amigos