Corre uma Maratona em mais de 5h30? Não vá a Valência…

Uma das Maratonas mais procuradas na Europa nos últimos anos, a organização da prova em Valência decidiu reduzir o tempo limite da corrida para a edição deste ano, concretamente de 6h00 para 5h30.

 

Oficialmente designada Maratón Valencia Trinidad Alfonso EDP, a organização da prova defende que, ao reduzir o tempo limite da corrida, os corredores presentes estarão melhor preparados em termos físicos e desportivos para participar no evento.

Maratona de Valênciar ecebeu no ano passado a classificação Gold Label da IAAF

Apesar de assumir que essa mudança poderá fazer com que o número de inscrições decresça, os organizadores acreditam que é essencial para a prova assumir esse passo.

LEIA TAMBÉM
Valência adapta percursos da Maratona e Meia-maratona em busca de melhores tempos

Deste modo, os corredores que pretendem participar na Maratona de Valência, agendada para o próximo dia 19 de novembro (37.ª edição), terão de apresentar uma média de 7m30 por quilómetro.

Recorde-se que, no ano passado, a Maratona de Valência alcançou o máximo estatuto da IAAF, a Gold Label. Os vencedores foram os queniano Victor Kipchirchir e Valary Aiyabei com os tempos de 2h07m38 e 2h24m48, respetivamente. De referir que o tempo de Aiyabei é o novo melhor registo da corrida.

LEIA TAMBÉM
Portuguesa Marisa Barros já não tem o melhor tempo da Maratona em Espanha

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos