Campeã da Maratona de Nova Iorque Shalane Flanagan na Maratona de Boston

Shalane Flanagan, vencedora este ano da Maratona de Nova Iorque, é uma das estrelas da próxima Maratona de Boston, agendada para o dia 16 de abril, segunda-feira.

 

Os organizadores da Maratona de Boston revelaram os nomes da elite norte-americana que correrá a prova em abril. Campeã em Nova Iorque, Shalane Flanagan comanda a frota norte-americana, que conta ainda com Jordan Hasay e Desiree Linden, terceira e quarta colocadas este ano na Maratona de Boston, as duas primeiras atletas dos Estados Unidos.

LEIA TAMBÉM
Apenas 19 homens correram mais rápido do que Shalane Flanagan na Maratona de Nova Iorque

No masculino, nota para a presença de Galen Rupp, apesar de não ser o melhor maratonista em termos de tempo presente, já que está atrás de Dathan Ritzenhein e Abdi Abdirahman.

De referir que os nomes da elite internacional ainda não foram revelados, algo que acontecerá nos próximos tempos.

ELITE FEMININA

Deena Kastor (2h19m36)

Jordan Hasay (2h20m57)

Shalane Flanagan (2h21m14)

Desiree Linden (2h22m38)

Serena Burla (2h26m53)

Sara Hall (2h27m21)

Molly Huddle (2h28m13)

Kellyn Taylor (2h28m40)

 

ELITE MASCULINA

Dathan Ritzenhein (2h07m47)

Abdi Abdirahman (2h08m56)

Galen Rupp (2h09m20)

Ryan Vail (2h10m57)

Shadrack Biwott (2h12m01)

Scott Smith (2h12m21)

Andrew Bumbalough (2h13m58)

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos