Madrid: inscrições abertas para a San Silvestre Vallecana

Uma das São Silvestre mais procuradas da Europa, as inscrições para a Nationale-Nederlanden San Silvestre Vallecana, em Madrid, já estão abertas. Se pensa passar o fim de ano a correr na capital espanhola, é melhor não se atrasar…

 

Com 40 mil lugares disponíveis, as inscrições para a San Silvestre Vallecana esgotam em poucos dias, tal a popularidade da corrida que é realizada pelas ruas da capital espanhola no dia 31 de dezembro e que este ano comemora 38 anos. Em Espanha, é a corrida de 10 km com mais inscrições.

 

 

De referir que a Nationale-Nederlanden San Silvestre Vallecana apresenta duas provas, a Popular e a Internacional. A diferença entre a segunda e a primeira é que a Internacional, considerada pelos organizadores a prova da elite, apresenta tempo limite para cada escalão, concretamente 38 e 45 minutos para os homens e mulheres, respetivamente. Os registos devem ter sido alcançados em determinadas provas (clique aqui).

De referir que as duas corridas são realizadas em horários diferentes. A Popular realiza-se às 17h30. A Internacional, cujo período de inscrição será aberto a partir do dia 16 de outubro, começará às 19h50.

Uma São Silvestre solidária e mais novidades

A São Silvestre de Madrid também olha para a sociedade e, como aconteceu no ano passado, este ano os participantes poderão doar 3 euros no ato da inscrição para a investigação do cancro em crianças (de 23 euros, a inscrição passa para 26 euros). Em 2016, prova arrecadou cerca de 25 mil euros, uma marca que os organizadores pretendem superar este ano.

 

A altimetria e o percurso da San Silvestre Vallecana
A altimetria e o percurso da San Silvestre Vallecana

 

Nota também para a criação de uma prova para atletas até 25 anos. O objetivo é formar uma equipa (entre 3 e 10 elementos) e correr contra outras. Os participantes desta nova corrida sairão no terceiro bloco, cuja partida está agendada para às 18h00.

Como curiosidade, refira-se que, dos 10 km da prova, os 150 metros finais são realizados em relva, concretamente no interior do Estádio de Vallecas.

LEIA TAMBÉM

São Silvestre de São Paulo vai atacar os “pipocas”

 

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos