Rui Pinto e Samuel Barata brilham na Meia-maratona de Barcelona

Os portugueses Rui Pinto e Samuel Barata alcançaram bons resultados na Meia-maratona de Barcelona. Ambos ocuparam o Top 10 da prova (nono e décimo, respetivamente) e com recordes pessoais na distância.

 

Rui Pinto, campeão nacional de estrada em título, registou o tempo de 1h02m54, 1m20 a menos do que o seu melhor tempo, alcançado em 2015, na Meia-maratona de Ovar.

Entretanto, Samuel Barata, que prepara a Maratona de Tóquio, alcançou o tempo de 1h02m57, menos 55 segundos do que o seu melhor registo na distância.

LEIA TAMBÉM
Yomif Kejelcha falha recorde do mundo na Milha por… 0s01

Outros portugueses em foco foram Nuno Lopes, 21.º, com 1h04m29, e Ercília Machado, que, na sua estreia numa Meia-maratona, registou 1h23m42, 55.ª atleta da classificação feminina.

Em relação aos vencedores, os triunfos surgiram para o queniano Eric Kiptanui, com 1h01m04, e a etíope Roza Dereje, com 1h06m01, que, deste modo, falhou o seu grande objetivo, que era superar o recorde do Mundo da queniana Joyciline Jepkosgei (1h04m51).

Top 10 da Meia-maratona de Barcelona
Top 10 da Meia-maratona de Barcelona
Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos