Rob Pope correu como Forrest Gump na Maratona de Londres e superou um recorde

O britânico Rob Pope correu a recente Maratona de Londres vestido de Forrest Gump, célebre personagem interpretada por Tom Hanks no filme de Robert Zemeckis, um dos filmes mais populares da década de 90. Ao ter concluído a prova, estabeleceu um novo recorde mundial.

 

Com o tempo de 2h36m, Rob Pope escreveu o seu nome no Guinness World Records, concretamente com o registo mais rápido de sempre de uma pessoa vestida igual à personagem de um filme. Antes da partida, Rob Pope escreveu na sua conta do Twitter que estava “hiperativo” e pronto para o desafio.

Rob Pope, como Forrest Gump, alcançou o registo mais rápido de sempre de uma pessoa vestida igual à personagem de um filme
Rob Pope, como Forrest Gump, alcançou o registo mais rápido de sempre de uma pessoa vestida igual à personagem de um filme

Recorde-se que o vencedor da Maratona foi o queniano Eliud Kipchoge, que completou a prova com um tempo de 2h04m27 horas. Entre as mulheres, a vencedora foi a queniana Vivian Cheruiyot, campeã olímpica dos 5000 metros, que ganhou em 2h18m31.

LEIA TAMBÉM
Starbrook terminou a Maratona de Londres com 87 anos e ficou insatisfeito com o seu tempo

Finalista do MasterChef britânico morre após ataque cardíaco na Maratona de Londres

Maratona de Londres: Martín Fiz é o primeiro atleta a ganhar seis Majors

Sim, Graham Green ganhou a Maratona de Londres na categoria 50-54 anos com este físico

 

 

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos