As dramáticas imagens de sofrimento de Recho Kosgei na Maratona de Varsóvia

As imagens do sofrimento de Recho Kosgei na Maratona de Varsóvia no último quilómetro da prova são angustiantes. Ao mesmo tempo, todos questionam a atleta não ter sido amparada em termos médicos.

 

Kosgei corria para mais uma vitória no seu curriculum com uma boa vantagem em relação a segunda classificada, cerca de três minutos. No entanto, nos últimos quilómetros, pela sua maneira de correr, era notório verificar que algo estava mal, que a queniana estava em sofrimento.

Precisamente no último quilómetro foi quando Kosgei não conseguiu mais e desabou no chão, a cerca de 800 metros da meta. Depois, como podemos ver no vídeo abaixo, foram largos minutos de uma luta herculana entre a mente e o corpo da queniana, com o corpo a levar a melhor.

Veja as impressionantes imagens entre 2h44m00 e 2h47m30.

 

 

Ajuda médica não apareceu para Recho Kosgei na Maratona de Varsóvia durante cerca de 3m00 

Mas o que não deixa de ser questionável foi a ajuda médica, que jamais apareceu durante as imagens disponíveis pelo vídeo, já viral nas redes sociais. Evidentemente que a cena causou uma onda de críticas um pouco por todo o Mundo, principalmente no Quénia, país da atleta.

«Isto ultrapassa o aceitável. Embora não seja permitido um oficial de corrida ajudar um atleta, há um momento em que a lógica deve imperar sobre as normas da IAAF», afirmou o ex-campeão da Maratona de Boston, Wesley Korir. Já o veterano jornalista desportivo Makamu Mbaisi questionou: «Onde estavam os médicos?». No entanto, uma das críticas mais vorazes foi de Saddique Shaban: «Como uma prova com a distinção Bronze Label da IAAF permite tal coisa? E se ela fosse uma atleta local? Ela ficaria a lutar pela sua vida?» O renomado escritor e também comentarista desportivo recordou ainda que as mortes em corridas de estrada estão a aumentar, «principalmente a nível de atletas amadores, mas aqui não era o caso.»

 

O drama de Recho Kosgei na Maratona de Varsóvia
O drama de Recho Kosgei na Maratona de Varsóvia

 

Como podemos ver no vídeo, a primeira ajuda que Kosgei recebe é a de um corredor, cerca de 2m30 depois da sua queda. Ao mesmo tempo, a queniana, que não terminou a corrida, é ultrapassada pela etíope Bekelu Beji, que acabou por vencer a prova com o tempo de 2h35m08 (no masculino, o vencedor foi o corredor local Blazej Brzezinski, com 2h11m26, retirando 51 segundos ao seu até então melhor tempo). O atleta que procurou ajudar Kosgei é o eslovaco Marek Hladik, que terminou a Maratona de Varsóvia na décima posição.

De referir que o melhor tempo de Kosgei é de 2h30m09.

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

Gostou? Partilhe pelos amigos