O vídeo em 3D do percurso do Mundial de Meia-maratona de Valência

A contagem regressiva para o Mundial de Meia-maratona, em Valência, no próximo dia 24 de março, começou. Oportunidade para conhecer o trajeto da prova, que tem a partida e a meta na emblemática Cidade das Artes e Ciências.

 

No total, são esperados em Valência cerca de 14 mil corredores no Mundial de Meia-maratona. A partida da elite está agendada para às 16h05 (hora de Portugal), com os restantes corredores a correrem às 16h30. Segundo os organizadores, cerca de 16% dos inscritos da corrida serão estrangeiros e 22% espanhóis oriundos de fora da denominada Comunitat Valenciana, números que demonstram a importância da prova em termos turísticos.

Um dos grandes motivos de interesse da prova é a aposta de vários corredores em obterem novos recordes do Mundo da distância. Não podemos esquecer que o registo mundial feminino foi alcançado nas ruas de Valência em outubro do ano passado, concretamente pela queniana Joyciline Jepkosgei, com 1h04m51. Já o recorde do mundo masculino, na posse de Zersenay Tadese, com 58m23, foi alcançado há oito anos em Lisboa.

LEIA TAMBÉM

Recordista do Mundo da Meia-maratona Joyciline Jepkosgei já sonha com a Maratona

Joyciline Jepkosgei alcança o recorde do Mundo da Meia-maratona

Mundial: Kamworor sonha com o tri na Meia-maratona, Jepkosgei com o recorde do Mundo

Outro ponto de interesse da corrida é o seu percurso, com partida e meta na emblemática Ciutat de les Arts i les Ciències, mas que passa por diversos pontos emblemáticos da cidade, inclusive pela zona marítima.

No total, a prova terá seis pontos de abastecimento líquido, mais uma localizado após a meta. A novidade será três abastecimentos extras, nos quilómetros 7,5, 12,5 e 17,5.

Os organizadores da Meia-maratona de Lisboa revelaram entretanto um vídeo em 3D do trajeto, que oferece aos interessados uma verdadeira noção do que irão encontrar no próximo dia 24 de março.

 

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos