Consegue correr uma Meia-maratona em 1h11m53? Ele correu. E com uma… Crocs

O Mundo do Running parou no último sábado para ver Eliud Kipchoge correr a Maratona em 2h00m25. Ontem um norte-americano ganhou a emblemática Transvulcania com umas sapatilhas de estrada numa prova de Trail. Já Benjamin Pachev correu uma Meia-maratona em 1h11m53. Com uma Crocs…

 

Benjamin Pachev, de 18 anos, correu a Meia-maratona de Indianápolis e terminou no 16.º lugar da prova.

«As pessoas olhavam para os meus pés e diziam que diabos se estava a passar», afirmou Pachev, que teve outro membro da família em prova, o pai, que terminou a corrida com o tempo de 1h16. De referir que o progenitor também correu com uma Crocs…

«Não provocam bolhas e transpiram muito bem. É como ter um ventilador nos pés», defendeu o jovem.

LEIA TAMBÉM
Falhada a tentativa de correr a Maratona em menos de 2h00

Já o pai afirmou que toda a sua família usa as sandálias Crocs, tanto a mulher como os dez filhos, todos corredores. Segundo a Runner’s World Magazine, a família Pachev, de origem russa, pretende ser a família mais rápida dos Estados Unidos.

«São mais económicas e as cores mais aberrantes são ainda mais baratas», refere Sasha.

LEIA TAMBÉM
“Desconhecido” vence Transvulcania com sapatilhas de… estrada

 

Benjamin Pachev verifica o seu tempo final
Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos