Maratona do Porto ambiciona ter mais de cinco mil “finishers”

A Maratona do Porto, que, em 2018, será palco do Campeonato Nacional de Maratona (anteriormente estava integrado na Maratona de Lisboa), espera ter no domingo mais de 5000 corredores a cruzar a meta. Este ano a prova apresenta uma novidade: a possibilidade de acompanhar a progressão dos atletas em tempo real, partilhando de imediato nas redes sociais.

 

No total, entre as três provas (além da prova principal, também ocorre a “Family Race”, com 15 quilómetros, e “Fun Race”, caminhada de 6 quilómetros), a Maratona do Porto, já com 14 edições, deverá reunir cerca de 15 mil participantes, que percorrerão as marginais e as ruas do Porto, Matosinhos e Vila Nova de Gaia.

Depois de ter alcançado no ano passado 4.748 finalistas, a ambição da organização da prova deste ano é ultrapassar a fasquia de 5000 corredores, o que seria um recorde no nosso país. Um número importante para o grande objetivo da organização, que é a obtenção da “Bronze Label”, distinção atribuída pela Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF), que estará presente na prova com o intuito de avaliar a corrida portuguesa.

A principal novidade deste ano é a possibilidade de acompanhar os atletas através de uma aplicação móvel, que oferece o “live tracking” dos participantes, além de outras informações (como, por exemplo, o ritmo da corrida do atleta ou vídeos sobre o percurso).

Carla Salomé Rocha vai fazer a sua estreia com a camisola do Sporting

Com partida agendada para às 09h00, o nome de destaque da corrida é Lawrence Kimaiyo (2h07m01), que lutará pelo título com Jackson Limo, Workneh Fikire Serbessa, Emmanuel Bor e Charles Kipkoech Cheruiyot.

No plano feminino, o melhor tempo é de uma portuguesa, Carla Salomé Rocha (2h27m08), mas Mónica Jepkoech, vencedora da Meia-maratona do Porto este ano, é um nome a reter.

 

Carla Salomé Rocha foi contratada recentemente pelo Sporting
Carla Salomé Rocha foi contratada recentemente pelo Sporting

 

«Vou correr em casa. Sou do Norte! É um percurso aliciante. Será a primeira competição com a camisola do Sporting. Agora o objetivo é apenas o coletivo. O símbolo da frente é o mais importante que o nome nas costas», afirmou Salomé Rocha, nova integrante da equipa do Sporting (leia aqui).

Nota também para a igualdade do prémio monetário, sendo o primeiro ano em que os prémios têm o mesmo valor para homens e mulheres, uma luta constante das atletas femininas um pouco por todo o Mundo, uma decisão da organização que merece o aplauso de todos.

 

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

Gostou? Partilhe pelos amigos