Maratona de Valência terá uma camisola revolucionária

A organização da 37.ª edição da Maratona de Valência revelou a camisola que os participantes vestirão na prova, no próximo dia 19 de novembro. Uma camisola revolucionária…

 

A camisola da 37.ª edição da Maratona de Valência na verdade são duas, já que, seca, temos um “desenho”; molhada, temos outro. Ou seja, à medida que os metros/quilómetros passam, o atleta poderá ver o trajeto da corrida, algo que não o consegue ver se a camisola estiver seca.

A tecnologia desta camisola é da responsabilidade da marca local Luanvi, que este ano resolveu inovar e apresentar um tecido especial que reage com a transpiração do corredor.

LEIA TAMBÉM
Maratona de Valência 2018 será realizada em dezembro

Maratona de Valência oferece prémios entre dois e quatro mil euros para quem superar o tempo pessoal

«Utilizámos tecnologias que nunca antes foram utilizadas numa camisola de uma prova de Maratona no mundo», afirmou na apresentação o responsável pelo novo produto criado da Luanvi, Luis Martínez.

 Entretanto, os organizadores da Maratona de Valência, distinguida com a Gold Label da IAAF, revelaram que 32% do pelotão da prova será formado por estrangeiros. No total, a corrida reunirá cerca de 19 mil atletas oriundos de 87 países.

 

 

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos