Ken Jones correu todas as 39 edições da Maratona de Londres

Aos 85 anos, Ken Jones concluiu no domingo mais uma edição da Maratona de Londres, um feito só por si assinalável. No entanto, o britânico é um caso à parte na história do evento, já que Jones correu todas as 39 edições da prova.

Jones, que foi o corredor mais velho da Maratona de Londres no domingo, correu a distância em 7h40m50, menos dez minutos do que o tempo alcançado no ano passado.

Das 39 edições da prova inglesa, Jones alcançou o seu melhor tempo em 1985, concretamente 2h55.

Na corrida deste ano estiveram presentes os denominados «Ever Presents», 11 atletas que correram todas as edições da Maratona de Londres, cuja primeira edição ocorreu em 1981.

Os conselhos de Ken Jones

Para a corrida de domingo, Jones revelou que correu menos do que o habitual na sua preparação, referindo que deu preferência este ano a natação, procurando nadar três vezes por semana. No entanto, sempre que conseguiu, não deixou de fazer o seu habitual trote diário de duas horas.

Originário da Irlanda do Norte, Jones revelou que já sonha em correr a próxima edição da Maratona de Londres, no ano que vem, quando a prova comemorará quatro décadas de vida.

Em relação a conselhos, Jones defende que os corredores amadores não devem exagerar nos treinos para assim evitarem lesões. No entanto, a sua principal dica é o uso de… meias de compressão.

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos