Concurso leva 10 pessoas para verem o desafio Breaking2

O projeto Breaking2, da Nike, que pretende correr uma Maratona em menos de 2h00, está próximo. Tudo acontecerá no primeiro fim-de-semana de Maio, no mítico Autódromo de Monza, em Itália. Apesar do evento ser fechado ao público, 10 pessoas poderão ver em direto o possível feito protagonizado por Lelisa Desisa, Eliud Kipchoge, and Zersenay Tadese. Mas têm de morar em certos países…
Num projeto conjunto entre a Nike e Airbnb, 10 pessoas terão a honra de ver em direto o desempenho de Lelisa Desisa, Eliud Kipchoge, and Zersenay Tadese, que tentarão correr uma Maratona em menos de duas horas.

Os participantes do desafio Breaking2

A empresa norte-americana revelou que, apesar da corrida ser vedada ao público, será possível qualquer pessoa «experienciar o entusiasmo ligando-se ao stream em directo da maratona e da apresentação que irá anteceder a corrida, ambos apresentados por Sal Masekela, incluindo comentários de atletas Nike».

LEIA TAMBÉM
Maurten, o Santo Graal da nutrição desportiva

Os vencedores do passatempo irão ficar entre 5 e 8 de maio num acampamento adjacente à pista de Monza, participando de várias atividades durante quatro dias.

Todavia, apenas podem participar participantes residentes nos Estados Unidos, Alemanha, França, Espanha, Itália, Reino Unido, Irlanda, Canadá, China, Japão, Coreia do Sul e Austrália, como lemos no regulamento do Concurso.

Para ser um dos 10 felizardos, os pretendentes terão de escrever um texto entre 11 e 14 de abril, explicando porque correm.

Mais informações, aqui.

LEIA TAMBÉM
Circuito de Monza escolhido para correr a Maratona em menos de 2h00

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos