Menouar Benfodda correu de alpargatas na Maratona de Paris

O francês Menouar Benfodda, de 38 anos, alcançou mais um recorde do mundo invulgar ao terminar a Maratona de Paris no último domingo com umas… alpargatas. Um tempo que muitos corredores não conseguem alcançar com… sapatilhas.

«Calçado grosseiro de lona, assente sobre corda ou borracha, que se prende ao pé por tiras de couro ou de pano» é a definição de alpercata na Infopédia.

Foi calçada com elas que Benfodda obteve mais um feito na sua carreira, escrevendo novamente o seu nome no Guiness Book devido ao seu tempo final, de 2h35m10, ou seja, uma média de 3m41 por quilómetro.

As alpargatas de Menouar Benfodda na Maratona de Paris
As alpargatas de Menouar Benfodda na Maratona de Paris

Menouar Benfodda revelou que decidiu correr a Maratona de Paris com as alpargatas para provar a todos que não é necessário uma sapatilha “xpto” para terminar a mítica distância, que não é necessário gastar 150, 200 ou 300 euros por uma sapatilha.

A classificação de Menouar Benfodda na Maratona de Paris
A classificação de Menouar Benfodda na Maratona de Paris

Correr com as alpercatas na Maratona de Paris custou vários dias para Menouar Benfodda

O gaulês admitiu no entanto que a adaptação não foi fácil e que foi necessário algum tempo. Num primeiro momento, Benfodda apenas caminhou com as alpargatas para, algumas semanas depois, começar a correr curtos trajetos.

Já adaptado, treinou depois normalmente com o calçado, que não apresenta nenhum sistema de amortecimento, recaindo todos o trabalho, segundo o corredor, no ante-pé e toda a sua musculatura, assim como nos tendões.

Menouar Benfodda com as suas alpargatas na partida da Maratona de Paris
Menouar Benfodda com as suas alpargatas na partida da Maratona de Paris

LEIA TAMBÉM
Paul Lonyangata repete o feito de 2017 e vence a Maratona de Paris

De referir no entanto que as alpargatas sofreram uma pequena modificação na sua conceção, alterando a borracha da sola e sofrendo uma pequena altura na zona do calcanhar, para não sofrer muitas dores nas costas.

No final da Maratona de Paris, Menouar Benfodda (veja aqui as fotos do gaulês durante a corrida) garantiu que as suas “sapatilhas” eram bastante confortáveis.

MERCI ! Menouar Benfodda

MERCI !Ce Dimanche 08 Avril, lors du Marathon de Paris, Menouar Benfodda remporte le défis. Avec un temps de 2h35min, il fait entrer les Vigatanes Catalanes dans le Guinness book des records, en catégorie chaussures minimalistes.L'ensemble de l'équipe Création Catalane félicite le Champion !#MarathonParis #Paris #Vigatane #CreationCatalane #Espadrille #Catalan #Madeinfrancewww.espadrille-catalane.com

Publicado por Création Catalane em Domingo, 8 de Abril de 2018

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos