Sporting contrata três ex-meio-fundistas ao Benfica

Após anunciar a contratação das atletas individuais Salomé Rocha e Catarina Ribeiro, o Sporting revelou a contratação de Alberto Paulo, Miguel Moreira e Tiago Costa, meio-fundistas que representavam o Benfica.

 

Depois de duas atletas internacionais, o Sporting contrata mais três nomes do meio-fundo nacional para a sua equipa de Atletismo, aproveitando que os três atletas estavam sem clube após serem dispensados pelo Benfica, no passado dia 4 de novembro.

Do lote dos três contratados, o nome mais sonante é de Alberto Paulo, duas vezes atleta olímpico nos 3000 metros obstáculos, três vezes campeão nacional e campeão mundial universitário. Já Miguel Moreira é especialista no 800 e 1500 metros, enquanto Tiago Costa tem as provas longas em pista como principais aptitudes.

 

Miguel Moreira com um novo desafio pela frente
Miguel Moreira com um novo desafio pela frente

 

«Para mim é um grande prazer estar nesta equipa. Foi fácil aceitar a oferta porque é um projeto que tem vindo a crescer, com sinais de força e de organização, e, sendo sportinguista, é ainda mais fácil (risos). Estar do outro lado era saber que o objetivo era ganhar ao meu clube de coração. Um pouco complicado, mas somos profissionais e sempre desempenhei o meu papel da melhor forma. Agora, haverá um gosto especial (…) Já havia uma ligação desde criança e é engraçado poder vestir a camisola que tinha desde pequeno. Sou atleta de 800 e 1.500 metros e o que me foi pedido foi prosseguir no registo que tenho tido. Os objetivos são os mesmos: a superação pessoal e isso há-de se refletir no melhor desempenho da equipa (…) Temos de vencer coletivamente as competições que não temos conseguido e ajudar a construir um percurso sólido», afirmou Miguel Moreira ao site do Sporting.

Declarações dadas no mesmo sentido por Tiago Costa, novamente ao site do clube leonino.

«Representar o Sporting CP para mim é um motivo de grande orgulho. É o clube bicampeão nacional de corta-mato e esse é o título mais importante, visto que dá acesso à Taça dos Clubes Campeões Europeus, onde temos de estar (…) . Sou um atleta de corta-mato, de longas distâncias, mais resistente. Estou mais confortável em provas a partir dos 5000 metros (…) O grande objetivo é a Taça dos Clubes Campeões Europeus e ser tricampeão de corta-mato, bem como reconquistar o título na pista. Os atletas só são reconhecidos enquanto forem campeões pelos clubes que representamos e isso é muito importante.»

Sara Catarina Ribeiro e Salomé Rocha felizes por representar o Sporting

No dia anterior, Sara Catarina Ribeiro, que participou na Maratona no último Mundial de Atletismo, em Londres, também tinha mostrado ao site do Sporting a sua satisfação por regressar a um clube que já representou.

«Regressar ao Sporting CP é um desafio. Corri individualmente porque pensei que fosse a melhor opção, mas quis voltar a competir enquanto equipa e pensar não só no individual, mas também no coletivo. Sou meia-fundista, mas também fundista. Estou cá para fazer um pouco de tudo e para aquilo que o Clube achar melhor. Estou cá para trabalhar e para correr (…) Agora o Sporting CP está mais aberto para as competições europeias e não só nacionais, o que é mais aliciante. Nacionalmente somos os melhores e o desafio internacional é sempre o que dá mais ênfase e tem maior visibilidade (…) É a primeira vez que vou pertencer a uma equipa tão forte e isso deixa os atletas mais confiantes de forma a pensar não só em termos nacionais, mas também num feito maior.»

Já Carla Salomé admitiu que há uma diferença entre ser individual e representar um clube, como o Sporting.

«O Sporting CP tem um projeto bastante aliciante e uma grande equipa masculina e feminina o que nos motiva mais para trabalhar em equipa. É sempre bom ver a aposta do clube na nossa modalidade, que anda um pouco apagada entre aspas. Pessoalmente, as coisas mudam um pouco porque antes estava restringida às competições que planeava durante a época, agora o calendário é planeado pelo clube (…) Gosto muito de fazer 10.000 e também já experimentei a Maratona e são essas as distâncias com que mais me identifico. No meio-fundo fazemos um bocadinho de tudo, dos 3.000, 5.000, 10.000 e Maratona (…)  Como se costuma dizer, o símbolo da frente vem primeiro do que o nome nas costas e venho para ajudar a equipa a alcançar grandes títulos tanto a nível nacional como europeu.»

 

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

Gostou? Partilhe pelos amigos