Maratona: Ricardo Ribas desiste no Mundial de Londres

Único representante de Portugal, Ricardo Ribas acabou por abandonar a Maratona no Mundial de Londres entre os 15.º e 20.º quilómetro.

Ricardo Ribas passou pelos 5 km com o tempo de 16m08 (80.ª posição), mais 11 segundos que o pelotão da frente.

Aos 10 km, o português subiu três lugares na classificação geral, registando o tempo de 32m08 (mais 33 segundos que os líderes).

Aos 15 km, o maratonista, que esteve nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, continuou a subir na classificação geral, ocupando a 71.ª posição, com o tempo de 48m15, mais 1m19 que os primeiros.

Todavia, aos 20 km, o nome de Ricardo Ribas já não apareceu no site da IAAF, pois o português tinha abandonado a prova no quilómetro 18.

De referir que o português representou o nosso país pela 35.ª vez, um número realmente impressionante para um atleta nacional.

O vencedor da prova foi o queniano Geoffrey Kipkorir Kirui (leia aqui)

De referir que a prova feminina realiza-se ainda hoje, às 14h00, com as presenças de Catarina Ribeiro e Filomena Costa. 

 

LEIA TAMBÉM

Mundiais de Atletismo: Cátia Azevedo eliminada nos 400 metros e Diogo Ferreira no salto com vara

Calendário dos portugueses no Mundial de Londres

O calendário do Mundial de Londres

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos