Nelson Évora conquista a medalha de bronze no Mundial

Portugal conquistou a sua primeira medalha no Mundial de Londres, concretamente com o inevitável Nelson Évora, de 33 anos, no triplo salto. O português conquistou a sua segunda medalha de bronze no historial da competição.

 

Depois de uma medalha de ouro (2007), uma de prata (2009) e uma de bronze (2015) em Mundiais, Évora ganhou novamente uma medalha de bronze, fruto do seu segundo salto, 17m19. O português levou um valente susto na última ronda, quando o norte-americano Chris Benard saltou 17m16, três centímetros a menos que a melhor marca do português (mais dois saltadores conseguiram essa marca, Cristian Nápoles e Alexis Copello, ambos de Cuba). De referir que Évora tinha como melhor registo do ano 17m20, o sexto melhor salto dos finalistas.

Nos seis saltos, Évora “marcou” 17m02, 17m19, 16m58, dois nulos e 16m01.

Este foi o salto da medalha de bronze:

Londres2017

#teamportugal #london2017

Publicado por Federação Portuguesa de Atletismo em Quinta-feira, 10 de Agosto de 2017

 

Entretanto, o norte-americano Christian Taylor, como todos esperavam, alcançou a medalha de ouro, com 17m68, o seu terceiro título mundial. O compatriota Will Claye conquistou a prata, com 17m63.

 


 

Christian Taylor conquista novamente o título mundial
Christian Taylor conquista novamente o título mundial

 

O enorme Nelson Évora

Nelson Évora mostrou mais uma vez ser um enorme atleta. Apesar das lesões (entre elas uma fratura da tíbia), a verdade é que o português ressurge nos momentos certos, como aconteceu em Londres. Agora orientado pelo cubano Ivan Pedroso (recordista mundial do comprimento e com um grupo de treino em Madrid, onde Évora treina. Como curiosidade, refira-se que o cubano é o treinador da venezuelana Yulimar Rojas, campeã do triplo salto feminino na capital inglesa), o português termina assim uma época de sonho, após o título europeu de pista coberta, com os tais 17m20.

Esta foi a oitava medalha do português em grandes competições. Além das quatro em Mundiais e do título europeu deste ano, foi campeão olímpico em Pequim2008, campeão da Europa em pista coberta em Praga2015 e bronze no mundial de pista coberta em 2008.

No triplo salto, o português tem uma medalha a menos que Jonathan Edwards e mais uma que Will Claye, Christian Taylor e Mike Conley.

 

A comemoração de Nélson Évora
A comemoração de Nélson Évora

 

LEIA TAMBÉM

Ex-futebolista torna-se campeã mundial nos 400 metros barreiras

Turco Ramil Guliyev surpreende e vence os 200 metros

 

 

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos