Mundiais de Londres: Portugal sem medalhas no triplo salto feminino

Patrícia Mamona e Susana Costa falharam o objetivo de alcançarem a primeira medalha para Portugal no Mundial de Atletismo, que decorre em Londres até o dia 13 de agosto.

Após alcançarem a terceira e quarta melhores marcas na qualificação, as portuguesas não conseguiram manter o mesmo nível na final do triplo salto. Tanto Mamona, atual campeã europeia, como Susana Costa nem chegaram aos três saltos finais, com a primeira a perder o lugar na “finalíssima” após o último ensaio da espanhola Ana Pelleteiro, que relegou a portuguesa para a nona posição.

Mamona registou nos seus três saltos um nulo, um 14m04 e um 14m12, enquanto Susana Costa, terceira nas eliminatórias (14m35), registou um nulo, 13m99 e 13m97.

«Senti que devia estar lá, senti que tinha potencial para estar lá, mas o primeiro salto que eu fiz, o nulo, deixou-me assim um bocadinho nervosa porque tinha de me qualificar. Tentei jogar pelo seguro nos outros saltos, [mas] não seguro suficiente (…) Acho que este ano merecia um recorde pessoal e esperava que hoje fosse o dia, estava a sentir-me muito bem. O meu dia há de chegar, espero que seja num campeonato. Aprendi que se calhar tenho de controlar os meus nervos um bocadinho mais e arriscar porque, depois de fazer um nulo, em vez de continuar com a mesma atitude de conseguir ir para além, resguardei-me um bocadinho. Se calhar foi demasiado para o que devia ser», afirmou Mamona no final da prova.

Já Susana Costa garantiu ter lutado o máximo que conseguiu:

«Lutei até ao fim, o que deu, como deu. Eu sabia que se se fizesse uma boa corrida e que se entrasse bem, era possível. Tentei fazê-lo, hoje não consegui, mas acredito que, com trabalho, com dedicação, vou-me superar

Segundo a Lusa, Susana Costa confessou que participou no Mundial com algumas dores, palavra que fez parte da sua época.

«Não estou a dar desculpa das dores. Na qualificação também estava com dores. Acredito que mais coisas vou conseguir fazer. Hoje sei o que posso fazer.»

Nélson Évora na final

Entretanto, na qualificação do triplo salto masculina, Nelson Évora alcançou o sexto melhor tempo nas qualificações, suficiente para alcançar a final. Campeão do mundo em 2007 e olímpico em 2008, o português registou 16m64, 16m94 e um nulo. De referir que a qualificação direta foi de 17m00, algo apenas alcançado por três atletas: os norte-americanos Chsistian Taylor (17m15) e Christian Bernard (17m20) e o cubano Christian Nápoles (17m06).

A final está agendada para quinta-feira.

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

Gostou? Partilhe pelos amigos