Inês Monteiro vence o Campeonato Nacional de Estrada

Após quatro vitórias, em 2002, 2003, 2004 e 2005, a sportinguista Inês Monteiro voltou a vencer o Campeonato Nacional de Estrada, prova que começou e terminou no Estádio do Jamor, em Oeiras.

 

Sem Carla Salomé Rocha, Jessica Augusto, Catarina Ribeiro e Ana Mafalda Ferreira (as três inscritas em Elgoybar), coube a sportinguista Inês Monteiro e a colega de equipa Sara Moreira lutarem pelo triunfo, num evento que reuniu, entre profissionais e amadores, cerca de 2000 atletas, que foram forçados a subir o Alto da Boa Viagem devido as más condições do tempo, que obrigou a uma alteração do percurso, que ficou muito mais duro para os participantes, que tiveram que contar com mais uma dificuldade, o forte vento.

As duas atletas não se descolaram ao longo de todo o percurso, com Inês Monteiro a sprintar nos dois quilómetros finais, um “sprint” que Sara Moreira não conseguiu responder.

Após 13 anos, Inês Monteiro voltou a vencer, terminando a prova com o tempo de 33m37. Sara Moreira registou 34m07 e, no último lugar do pódio, ficou Cátia Santos, com 34m32. De referir que Inês Monteiro regressou esta temporada ao Sporting, após 17 anos.

De referir ainda que o Sporting conquistou o título coletivo. Nos lugares do pódio ficaram ainda RDA Recreio Desportivo Águeda e Grecas – Vagos.

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos