Duelo Eliud Kipchoge-Wilson Kipsang confirmado para a Maratona de Berlim

Um dos “duelos” do momento no Atletismo mundial, o “confronto” Eliud Kipchoge-Wilson Kipsang está confirmado para a Maratona de Berlim, a 24 de setembro. Pelo recorde do Mundo da distância, ambos abdicaram do Mundial de Londres, entre 4 e 13 de agosto.

 

A rivalidade entre os dois quenianos é pública e por isso é com enorme expetativa que todos contam os dias para a realização da “BMW Berlin Marathon”, ainda mais quando este confronto poderá determinar um possível recorde do Mundo.

Não podemos ignorar que a Maratona de Berlim é responsável por seis registos mundiais no Top 10, sendo o último obtido pelo queniano Dennis Kimetto, de 2h02m57 (2014), que detém a marca que ambicionam superar Eliud Kipchoge e Wilson Kipsang.

 

Posição Tempo Atleta País Data Local
1
2:02:57
Dennis Kimetto
Quénia
28 de setembro de 2014
Berlim
2
2:03:03
Kenenisa Bekelele
Etiópia
25 de setembro de 2016
Berlim
3
2:03:05
Eliud Kipchoge
Quénia
24 de abril de 2016
Londres
4
2:03:13
Emmanuel Mutai
Quénia
28 de setembro de 2014
Berlim
2:03:13
Wilson Kipsang
Quénia
25 de setembro de 2016
Berlim
6
2:03:23
Wilson Kipsang
Quénia
29 de setembro de 2013
Berlim
7
2:03:38
Patrick Makau
Quénia
25 de setembro de 2011
Berlim
8
2:03:42
Wilson Kipsang
Quénia
30 de outubro de 2011
Frankfurt
9
2:03:45
Dennis Kimetto
Quénia
13 de outubro de 2013
Chicago
10
2:03:51
Stanley Biwott
Quénia
24 de abril de 2016
Londres

 

Campeão olímpico e vencedor na capital alemã em 2015, Kipchoge, que esteve muito próximo de superar a marca na Maratona de Londres no ano passado (2h03m05), já correu a distância em 2h00m25, mas através do programa Breaking2, que não foi homologado pela IAAF.

«Acredito que a BMW Berlin Marathon é o local perfeito para atacar o recorde mundial oficial», afirmou o queniano para o site da entidade que rege o Atletismo mundial.

Kipsang foi o único que derrotou Kipchoge

Desde que começou a sua carreira na Maratona, em 2003, o “homem das duas horas” apenas somou uma derrota na distância. E foi precisamente diante de Kipsang, que, em 2013, alcançou ao mesmo tempo o recorde do Mundo (2h03m23).

Hoje, o seu melhor tempo é 2h03m13, tempo alcançado precisamente na Maratona de Berlim no ano passado. O queniano sustenta ainda a melhor marca do ano, obtida em Tóquio, de 2h03m58.

«A minha motivação é muito alta. A preparação será a mais cuidada possível», garantiu o fundista.

No feminino, o destaque será o duelo entre a também queniana Gladys Cherono, vencedora em 2015 (2h19m25) e a etíope Aberu Kebede, vencedora em 2010, 2012 e no ano passado, com 2h20m45. Nota ainda para as presenças de Amane Beriso, Gulume Tollesa, Meseret Mengistu e Valery Aiyabei.

Ou seja, é contar os dias para 24 de setembro…

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos