Novo feito (400 metros barreiras) da menina-prodígio Sydney McLaughlin

Depois de deslumbrar na temporada de Pista Coberta, a norte-americana Sydney McLaughlin, de 18 anos, volta a deixar o Mundo de boca aberta ao alcançar um novo recorde do Mundo Sub-20, um tempo que a coloca como a responsável, até ao momento, do melhor tempo do ano nos 400 metros barreiras.

 

Na temporada de Pista Coberta, Sydney McLaughlin tinha alcançado o recorde do Mundo Sub-20 nos 300 metros (36s12) e nos 400 metros (50s36).

Pois bem, a menina de ouro do Atletismo dos Estados Unidos resolveu agora superar o recorde do Mundo Sub-20 nos 400 metros barreiras, com o registo de 53s60, o melhor tempo do ano e a melhor marca da História antes de Maio (a norte-americana tem, nos 400 metros, o tempo de 50s07).

Ou seja, McLaughlin é hoje a principal promessa mundial do Atletismo, num desporto em busca de um ídolo após o abandono de Usain Bolt.

LEIA TAMBÉM
Histórica corrida dos 400m barreiras nos Nacionais dos Estados Unidos

Michael Norman regista o recorde do Mundo nos 400 metros em Pista Coberta

No entanto, a norte-americana ainda não tomou a decisão se seguirá no Atletismo, pois tem o sonho de ser jornalista. Até ao momento já recusou ofertas para se tornar profissional, o que a impede, por exemplo, de concorrer na Diamond League.

O Top 10 dos 400 metros barreiras de 2018 é liderado por Sydney McLaughlin
O Top 10 dos 400 metros barreiras de 2018 é liderado por Sydney McLaughlin
Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos