O Corredor do Povo Yuki Kawauchi será profissional em 2019

Inesperado vencedor da Maratona de Boston na passada segunda-feira, o japonês Yuki Kawauchi, conhecido como “O Corredor do Povo”, já que é amador, revelou que será profissional no ano que vem, deixando deste modo o seu trabalho de funcionário público.

 

Segundo o diário japonês The Japanese Times, Kawauchi, de 31 anos, pretende abandonar a sua vida de atleta amador, sem treinador, sem patrocinador e cumprindo oito horas de trabalho diário, para se tornar atleta profissional. Deste modo, “O Corredor do Povo” já poderá aceitar as ofertas de patrocínio que sempre recusou ao longo dos últimos anos, assim como as quotas de presenças em provas.

«A razão número um desta mudança é que desejo competir a nível mundial (…) Não melhorei a minha marca pessoal em cinco anos. É necessário fazer algo», afirmou o nipónico aquando do desembarque no Aeroporto de Narita, onde foi recebido como um herói nacional.

Recorde-se que a Câmara de Saitama impede Kawauchi de receber extras financeiros como atleta sendo funcionário público numa escola. Ou seja, além de trabalhar 40 horas semanais e de treinar nos seus tempos livres, o japonês é obrigado a despender alguns custos quando corre, além de ser obrigado a tirar dias de férias para poder fazer o que mais aprecia, correr.

Prémio pelo triunfo na Maratona de Boston permitirá independência financeira de Yuki Kawauchi

Kawauchi revelou também que os 121 mil euros que recebeu do seu triunfo na Maratona de Boston vai proporcionar a mudança de vida que tanto ambicionava: se comprometer em pleno com as corridas. «Ajuda saber que as minhas preocupações financeiras desapareceram», confessou.

LEIA TAMBÉM

Maratona de Boston: a incrível história de superação de Tim Don

Katherine Beiers correu a Maratona de Boston pela 14.ª vez, agora com 85 anos

Segundo o diário, com o triunfo em Boston, o valor mediático de Kawauchi tornou-se mundial, com algumas empresas dispostas a desembolsar alguns milhares de ienes para contratar o maratonista japonês. A sua simples presença numa corrida também acarretará um bom cheque para a sua conta pessoal, principalmente após ganhar a sua primeira Major desde que começou a correr a Maratona, em 2009.

Yuki Kawauchi parece não ter acreditado que tinha ganho a Maratona de Boston
Yuki Kawauchi parece não ter acreditado que tinha ganho a Maratona de Boston

Recorde-se que Kawauchi correu a Maratona do Porto em 2016. Na ocasião, alcançou o segundo lugar, com o tempo de 2h14m32. O primeiro foi o queniano Samuel Theuri Mwaniki, com 2h11m48.

LEIA TAMBÉM

O balanço da Maratona de Boston 2018

Maratona de Boston: Yuki Kawauchi surpreende e vence

Até ao momento, Yuki Kawauchi correu, desde 2009, 81 Maratonas, alcançando os seguintes resultados:

3 Sub-2h09
12 Sub-2h10
20 Sub-2h11
26 Sub-2h12
41 Sub-2h13
49 Sub-2h14
55 Sub-2h15
65 Sub-2h16
70 Sub-2h17
74 Sub-2h18
78 Sub-2h19
79 Sub-2h20

Melhores marcas por ano

2009 – 2h17m33 (13.º em Fukuoka)
2010 – 2h12m36 (4.º em Tóquio)
2011 – 2h08m37 (3.º em Tóquio)
2012 – 2h10m29 (6º em Fukuoka)
2013 – 2h08m14 (4º em Seul)
2014 – 2h09m36 (9º em Hamburgo)
2015 – 2h12m13 (2º em Zurique)
2016 – 2h09m01 (2º em Gold-Coast)
2017 – 2h09m18 (3º em Gold-Coast)
2018 – 2h011m46 (1.º em Kitakyushu Marathon)

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos