Ultramaratonista portuguesa com mais três recordes no Guiness World Records

mariaconcei

A portuguesa Maria da Conceição, que em fevereiro completou o “Desafio 777” (correr sete maratonas em sete dias em sete continentes), tem mais três recordes homologados no Guiness World Records, somando deste modo seis registos no Livro dos Recordes.

 

Partilhe pelos amigos e faça um LIKE na nossa página. Obrigado! 

 

Segundo a Fundação Maria Cristina, entidade solidária que fundou, Maria da Conceição é a mulher mais rápida a completar sete maratonas oficiais em sete “continentes” (Europa, América, Ásia, Oceania e África, além dos subcontinentes da América do Sul e da Antártida), a mulher mais rápida a concluir uma maratona e uma ultramaratona em cada um dos sete “continentes” e a mulher com o tempo agregado mais rápido a completar uma maratona e uma ultramaratona em cada um dos sete “continentes”.

O Desafio 777 (a portuguesa correu na Austrália, Emirados Árabes Unidos, França Tunísia, Estados Unidos da América, Chile e Antártida) foi completado em 11 dias, ultrapassando deste modo o anterior registo, de 48 dias. Já o recorde da mulher mais rápida a concluir uma maratona e uma ultramaratona em cada um dos sete continentes está agora em um ano e 24 dias (o anterior era de um ano e 180 dias).

A Fundação Maria Cristina auxilia crianças no Bangladesh, além de promover educação básica para crianças.

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos