Lesão leva Tiago Aires ao «Lar dos Gigantes»

Cansado de não poder correr devido a uma lesão, Tiago Martins Aires, o melhor português no Mundial de Trail de 2016, foi “espairecer” nas montanhas do Parque Nacional de Jotunheimen, na Noruega. Voltou rejuvenecido…

 

​​​“O tempo perguntou ao tempo quanto tempo o tempo tem; o tempo respondeu ao tempo que o tempo tem tanto tempo quanto o tempo o tempo tem.”

“Ao tempo” que não consigo correr… Já passaram 9 semanas. Estamos sempre a contabilizar tudo… Nesse “tempo” muito se passou. O “tempo” passou lento numas alturas e rápido noutras. Todos queremos que passe lento, mas todos ambicionamos pelo futuro, vivemos sempre a pensar no futuro, porque aí é que vai ser! Não há maior contra-senso, até porque viver focado no futuro é resignar o presente.

Tiago Aires visitou as montanhas da Noruega
Tiago Aires em Galdhøpiggen

Ao longo do “tempo” muito se refletiu, discutiu e escreveu sobre este “tempo”. Qual o mecanismo que faz parecer que o tempo passa rápido ou lento? Há teorias várias ou não fosse este um assunto tão apaixonante. Há a velha teoria de que, quando gostamos do que estamos a fazer, o tempo passa rápido; e quando é algo enfadonho, passa lento. Prefiro pessoalmente o descrito com grande mestria no clássico «Montanha Mágica», de Thomas Mann, em que a explicação tem que ver com a novidade vs rotina. Por isso é que, no desenrolar deste livro, os primeiros anos ocupam vários capítulos, ao passo que, a fase rotineira em adulto, a descrição de uma década cabe numa página. Portanto, só nos resta não cair na repetição, temos que ser capazes de inovar.

Com base neste mote, no último fim-de-semana, cansado de não recuperar da lesão, por mais que tente ao longo dos dias de trabalho fazer planos diferentes que tornem o meu tempo aprazível e inovador, sentia que correr, nadar, fazer circuitos de força e caminhadas não me chegava. Decidi então pegar numa mochila, tenda, colchão, saco cama, fogão e fui em direção às montanhas do parque nacional norueguês de Jotunheimen (significa “Lar dos Gigantes”, pois é o lar dos picos mais altos do norte da Europa).

Tiago Aires passou «por alguns dos locais mais impressionantes da Noruega»

O resultado não podia ter sido melhor. Nada como sair da zona de conforto para nos lembramos como as coisas simples podem vir a ser as grandes experiências da nossa vida. Estou certo de que nunca esquecerei o que representou para mim estar sozinho nas montanhas durante 4 dias, sobretudo porque passei por alguns dos locais mais impressionantes da Noruega:

  • TrollTunga (significa “língua do Troll”) é uma das falésias mais impressionantes, uma língua rochosa a 1100m de altitude, 700m sobe o lago Ringedalsvatnet, em Odda.
  • Besseggen Ridge Trail entre Gjendesheim – Memurubu ou vice-versa (este percurso foi considerado pela revista National Geographic como um dos melhores 19 percursos do mundo). Podem e devem fazer o regresso de ferry.
  • Galdhøpiggen é a montanha mais alta da Noruega, com 2469 m. É também a montanha mais alta da Escandinávia e da Europa Setentrional. Existem duas formas de fazer esta subida, eu fiz a que tem início no abrigo Spiterstulen.

Há muito que desejava fazer esta viagem, mas ficou sempre para “depois”. Desta vez coloquei a minha “ilusion” acima da minha ilusão.

Tiago Aires em Besseggen
Tiago Aires ficou maravilhado com as paisagens da Noruega
Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

Gostou? Partilhe pelos amigos