Sara Moreira admite que se reencontrou no triunfo dos 10000m da Taça da Europa

Sara Moreira voltou aos grandes resultados precisamente no Dia de Portugal, quando venceu os 10000 metros da Taça da Europa. A própria atleta do Sporting admitiu na sua página que finalmente se reencontrou…

 

«Quando se ganha uma competição com mínimos para o grande campeonato de Verão, está tudo bem…», começa por dizer Sara Moreira. «Estou feliz acima de tudo porque me reencontrei, porque voltei atingir um objectivo importante para mim. Depois de muitos meses de calvário e de outros tantos a batalhar por dias melhores digo finalmente que Consegui.»

Sara Moreira deixa entender no seu curto “desabafo” que ficou magoada com algumas críticas que surgiram ao longo deste período menos positivo, um período que começou nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, no ano passado, quando foi obrigada a abandonar a Maratona.

LEIA TAMBÉM
Sara Moreira vence pela terceira vez a Taça da Europa 10000m

«Pelo meio aconteceram muitas coisas que poucas pessoas sabem, a essas pessoas, aos meus, aos que acreditaram e não me deixaram cair, assim como ao meu clube Sporting Clube de Portugal, eu dedico esta medalha.»

No final, Sara Moreira mostrou o seu orgulho por ter ouvido o hino de Portugal precisamente no Dia de Portugal.

«No dia de Portugal ouvi o nosso hino emocionada e cheia de orgulho. Parabéns também à nossa equipa que se sagrou vice-campeã da Europa.»

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos