Centenário estabelece o novo recorde do Mundo dos 100 metros (e não só…)

pellmann

No passado domingo, durante o San Diego Senior Olympics, o norte-americano Donald Pellmann alcançou cinco marcas mundiais, entre elas o recorde do Mundo nos 100 metros, um registo que não era superado há cinco anos. As outras marcas foram alcançadas no salto em altura, lançamento do peso, lançamento do disco e salto em comprimento. Isso tudo com 100 anos, completados a 12 de agosto deste ano.

 

Partilhe a nossa página pelos amigos e faça um LIKE na nossa página. Obrigado! 

 

pellmann3

 

O principal intuito de Pellmann era superar o recorde do japonês Hidekichi Miyazaki, que, em 2010, correu os 100 metros em 29s83. Na largada, enquanto os seus rivais baixavam para os blocos de partida, o norte-americano decidiu ficar em pé, com as mãos sobre os joelhos. Dado o tiro de partida, Pellmann correu a distância em 26s99 e conseguiu o seu objetivo, o novo recorde do Mundo.

 

 

Mas não foi o único…

Num domingo de sonho, Pellmann alcançou 1m77 no salto em altura; 6m57 no lançamento do peso; 91 centímetros no salto em comprimento; e 14m85 no lançamento do disco.

 

pellmann1

 

Um dia para não esquecer? Nem tanto, já que Pellmann esperava alcançar uma boa marca no salto com vara, o que não conseguiu, já que derrubou por três vezes o sarrafo. «Pensei que estava em melhor forma», lamentou…

 

pellmann2

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos