Vencedor da Maratona de Londres na nova Meia-maratona de Londres

Daniel Wanjiru, atual vencedor da Maratona de Londres, é o novo corredor da elite masculina confirmado para a Meia-maratona de Londres, a 4 de março, prova onde já estão os britânicos Mo Farah e Callum Hawkins.

 

Wanjiru, com o tempo de 59m20, é a partir de agora o corredor com o melhor tempo pessoal da elite masculina da Meia-maratona de Londres, já que Farah e Hawkins apresentam 59m32 e 60m00, respetivamente. De referir que o tempo de Farah foi alcançado em Lisboa há três anos e é o atual recorde britânico da distância.

LEIA TAMBÉM
Mo Farah prepara a Maratona de Londres na Meia-maratona de… Londres

«Tenho muita vontade de voltar a correr em Londres, na Meia-maratona. Tenho boas recordações das corridas em Londres, com muita multidão nas ruas. Será um privilégio competir com uma lenda como Sir Mo Farah. Tanto ele como Callum Hawkins serão grandes rivais. Acredito que a Meia-maratona será uma grande corrida», afirmou Wanjiru, que conquistou a vitória da Maratona de Londres com o tempo de 2h05m48, precisamente na sua segunda experiência na distância.

A denominada The Big Half terá a sua primeira edição este ano. O seu percurso engloba muito do percurso da primeira metade da Maratona de Londres.

The Big Clash!

🥊THE BIG CLASH!🥊Sir Mo Farah, Callum Hawkins and Daniel Wanjiru at The Big Half!It's going to be some race…🔥🔥

Publicado por The Big Half em Terça-feira, 2 de Janeiro de 2018

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos