Tem vertigem? Não corra aqui…

O White Collar Factory, edifício na região de Old Street, em Londres, inaugurou recentemente uma pista de atletismo. O problema é ela estar acima do 16.º andar…

 

O White Collar Factory orgulha-se de ser desde agora a pista de corrida mais alta de Londres. Ou seja, uma pista imprópria para corredores que sofram de vertigens.

 

A pista de corrida vista por cima
A pista de corrida vista por cima

 

«É algo incrível e emocionante correr a esta altura, com vistas panorâmicas em todas as direções», afirmou Benjamin Lesser à imprensa que presenciou in loco a estreia desta nova pista. Corredor amador de Maratona, Lesser foi um dos primeiros a testar o piso da pista, que classificou de bastante bom, «Foi uma experiência edificante», brincou.

 

LEIA TAMBÉM

Espelho, espelho meu, há uma pista de atletismo mais bonita do que em Olot?

 

A nova pista tem 150 metros e tem vista para Old Street, região londrina onde estão localizadas algumas das grandes empresas de tecnologia do país. A pista pode ser utilizada pelos moradores e trabalhadores da White Collar Factory.

De referir que esta não é a pista mais alta do Mundo, já que, em Singapura, há uma localizada no 26.º andar…

 

A pista de corrida do White Collar Factory está na região de Old Street
A pista de corrida do White Collar Factory está na região de Old Street
Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos