Sucessão imperial obriga a mudança da data da Maratona de Tóquio

A organização da Maratona de Tóquio revelou que a prova, a partir de 2019, não será realizada no último domingo de fevereiro, mas na primeira de março. Tudo devido a sucessão imperial, que deverá acontecer em 2020.

 

A sucessão do imperador Akihito, de 84 anos, a primeira em mais de dois séculos, obrigou a mudança da data da Maratona de Tóquio, já que o dia 23 de fevereiro, data de nascimento do futuro herdeiro, o príncipe Naruhito, tornar-se-á feriado nacional no Japão.

LEIA TAMBÉM
Seis principais maratonas do Mundo criam ranking a nível mundial

Sucessão imperial obriga a mudança da data da Maratona de Tóquio

A data da corrida é assim alterada de forma preventiva para evitar qualquer sobreposição potencial. Todavia, essa modificação deverá mexer com outra tradicional prova no Japão, concretamente com a Lake Biwa Mainichi Marathon, que era realizada na primeira semana de março desde 1994.

Segundo os media japoneses, a prova, disputada nas proximidade de Kyoto, deverá ser antecipada uma semana, ou seja, será realizada no último domingo de fevereiro, precisamente aquando era a Maratona de Tóquio, que, no próximo ano, tem como data 25 de fevereiro.

 

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos