Mare Dibaba vence Meia-maratona de Lisboa, Jéssica Augusto na sétima posição

A etíope Mare Dibaba, ao sprint, foi a grande vencedora da Meia-maratona de Lisboa, enquanto Jéssica Augusto, no sétimo colocado, foi a melhor portuguesa.

 

LEIA TAMBÉM
As histórias que fizeram a História da EDP Meia-maratona de Lisboa

Numa prova que ficou aquém do esperado devido aos tempos, Dibaba (campeã mundial da Maratona) derrotou nos metros finais a queniana Vivian Jepkemoi Cheruiyot (campeão olímpica nos 5000 metros e vice-campeã olímpica nos 10000 metros) com o tempo de 1h09m43, menos um segundo que a sua rival. Na terceira posição ficou Mary Wacerda, do Quénia, com 1h09m53. De referir que o melhor tempo pessoal de Dibaba é de 1h07m13.

LEIA TAMBÉM
Carlos Móia: «A estrada começa a ser pequena porque as pessoas querem correr»

Jéssica Augusto registou o sétimo melhor tempo da prova, com 1h10m38, e foi deste modo a primeira portuguesa a terminar a prova (o seu melhor tempo pessoal é de 1h09m08).

«Foi um bom resultado, mas estava muito calor, foi complicado correr. Mas estou satisfeita com este desfecho», afirmou no final Dibaba.

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos