Kilian Jornet regressa com vitória após quatro meses parado

O espanhol Kilian Jornet regressou aos triunfos esta sexta-feira após quatro meses inativo devido a intervenções cirúrgicas aos ombros. Tudo aconteceu esta sexta-feira, na Taça do Mundo de Esqui.

 

Após afastado dos grandes palcos, principalmente da época de Inverno, que muito aprecia, o espanhol Jornet voltou a colocar novamente um dorsal, desta vez na Taça do Mundo de Esqui de Montanha, concretamente na etapa de Puy, em Sant Vincent, França.

O espanhol competiu em duas provas. Ontem, quinta-feira, Jornet alcançou o quarto lugar na categoria individual (no entanto, ainda liderou a prova por largos quilómetros), hoje venceu o KM Vertical, após uma dura batalha com o suíço Werner Marti. O catalão ganhou a prova em 27m03, enquanto o helvético registou 27m09 (o último lugar foi para o italiano Boscacci, com 27m39).

O objetivo de Jornet, que admitiu que a sua recuperação foi mais rápida do que imaginava, foi ganhar ritmo competitivo para o resto da temporada. Nesta primeira fase, o espanhol centra as suas atenções para os meses de março e abril, mais precisamente para as provas da La Grande Course.

«Pierra Menta e Tour du Rutor são duas provas clássicas, com um ambiente e percurso espetaculares. E Altitoy é uma das provas mais bonitas dos Pirenéus», afirmou Jornet, que regressou aos treinos há cerca de um mês

«Estou a ganhar força e mobilidade, mas vou competir com muita precaução»

Recorde-se que o espanhol Kilian Jornet, um dos grandes nomes do Trail mundial e algo responsável pela explosão da modalidade em termos mediáticos devido aos seus feitos, foi operado aos ombros em outubro de 2017 devido a constantes luxações. Apesar de ter regressado mais cedo do que o esperado, como o próprio admitiu, o espanhol referiu que não vai arriscar na sua recuperação.

Para felicidade dos adeptos, Kilian Jornet está de regresso
Para felicidade dos adeptos, Kilian Jornet está de regresso

«A minha prioridade é ganhar força e mobilidade, mas vou competir com muita precaução.»

Todos aguardam agora a programação do espanhol para o calendário de Trail deste ano. No ano passado, Jornet esteve presentes em seis provas (Marathon Mont Blanc, Hardrock 100, Sierre Zinal, Glen Coe Skyline, Marató Pirineu e UTMB), alcançando cinco vitórias (foi segundo no Ultra Trail Mont Blanc).

LEIA TAMBÉM
Kilian Jornet operou os dois ombros

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos