«Golden Bolt» corre os 100 metros aos… 105 anos

myy

Depois do recorde do mundo nos 100 metros com 100 anos (leia aqui), outro centenário regista uma marca mundial: o japonês Hidekichi Miyazaki, conhecido no Japão como «Golden Bolt», foi o primeiro atleta a correr os 100 metros… aos 105 anos. Para comemorar o feito, o nipónico imitou o já eternizado gesto do jamaicano Usain Bolt, o homem mais rápido de sempre.

 

Partilhe a nossa página pelos amigos e faça um LIKE na nossa página. Obrigado! 
Miyazaki correu a distância em 42s22, registando deste modo a marca a bater a partir de hoje. O recorde do mundo foi alcançado na pista de atletismo de Kioto. De referir que o japonês comemorou 105 anos na última terça-feira.

 

https://www.youtube.com/watch?v=4c2QuonkMtU

 

No final, Miyazaki lamentou o seu tempo, já que pretendia correr em 35 segundos.

«Vou continuar a treinar», referiu à emissora pública japonesa NHK. «O segredo para correr com a minha idade é ter coragem e procurar manter uma boa saúde.»

Recorde-se que Miyazaki já tinha o seu nome no Guinness Book como o velocista mais velho do mundo em 2013 e 2014, com 103 e 104 anos, respetivamente.

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos