Cereais desnecessários e antioxidantes prejudiciais para os… desportistas

antioxidante

Lisboa acolhe no sábado o III Congresso Europeu de Nutrição Funcional, considerada a nutrição do século XXI, uma oportunidade de ouro para ouvir alguns dos principais especialistas mundiais da área, que defendem, por exemplo, que laranja à noite ajuda a adormecer, os cereais são desnecessários numa alimentação saudável e os antioxidantes são prejudiciais para os… desportistas.

 

Partilhe pelos amigos e faça um LIKE na nossa página. Obrigado!

 

A denominada “nutrição funcional” tem como foco «a deteção e correção dos desequilíbrios nutricionais de cada pessoa, vendo-a como única, mas tendo em conta que o seu organismo é um todo, consistindo numa abordagem preventiva e de tratamento de problemas crónicos de saúde através da deteção e correção de desequilíbrios bioquímicos que geram as próprias doenças», escreve a Agência Lusa, que ouviu o investigador português Pedro Bastos, responsável pela organização do congresso, que terá vários temas em debate, alguns com o intuito de contrariar mitos urbanos ou provérbios, tais como «Laranja de manhã é ouro, à tarde é prata e à noite mata».

«No que diz respeito ao sono, um estudo publicado em 2013 no Journal of Pineal Research demonstrou que a ingestão de laranja aumenta as concentrações de Melatonina, a principal hormona responsável pelo sono», referiu o especialista à Lusa, que recorda que as informações transmitidas de forma oral ou os provérbios populares não foram sujeitos a análise científica.

Mas há mais crenças alimentares a ultrapassar, como acontece com os cereais, que surgem na base da pirâmide alimentar e tidos como fundamentais na alimentação por serem o “combustível” do organismo. Um erro, segundo Pedro Bastos, que defende que os cereais são absolutamente desnecessários, salientando que, «do ponto de vista puramente nutricional, não existe nada nos cereais que os torne essenciais, pois todos os nutrientes existentes nos mesmos estão presentes em outros alimentos, incluindo fibra, vitaminas e minerais», ainda mais quando «o seu teor em vitaminas e minerais é reduzido e a biodisponibilidade (quanto de facto absorvemos e aproveitamos) dos mesmos é baixa».

A alimentação fortemente baseada em cereais é portanto perigosa, sobretudo os refinados, um risco acrescido de diabetes tipo II, de doença cardiovascular, de progressão de alguns tipos de cancro (mama, próstata e cólon) e de algumas doenças inflamatórias e metabólicas.

«Em termos nutricionais, uma alimentação saudável deve recolher os hidratos de carbono das hortaliças (que simultaneamente têm oito vezes mais fibras do que os cereais), frutas (duas vezes mais fibras) e tubérculos

Pedro Bastos revelou ainda que o Congresso Europeu de Nutrição Funcional vai debater o papel dos suplementos antioxidantes, que, ao contrário do que muitos acreditam, «diminuem a eficácia do exercício físico», cuja prática «induz adaptações que melhoram a nossa saúde e resistência a diversas patologias».

«Uma dessas adaptações consiste na produção endógena de proteínas antioxidantes, que nos vão ‘proteger’ não apenas de futuras sessões de exercício, como de vários outras agressões às quais somos expostos (como tabaco e poluição)”, acrescenta o investigador. O que acontece é que o recurso a suplementos antioxidantes vai diminuir a produção de antioxidantes endógenos e outras adaptações que melhoram a saúde e o rendimento desportivo, explicou, aconselhando antes a ingestão de “quantidades fisiológicas de vitamina C e E através de fruta, hortaliças e oleaginosas” para garantir “um aporte adequado dos nutrientes necessários para a produção e ação dos antioxidantes que nós próprios produzimos”», escreve a Agência Lusa.

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos