Campeonatos nacionais de Trail, Trail Ultra e Trail Ultra Endurance 2016 revelados

trailprozis

A Associação de Trail Running de Portugal (ATRP) revelou esta segunda-feira os calendários dos campeonatos nacionais de Trail, Trail Ultra e Trail Ultra Endurance de 2016. No total, 22 corridas, entre janeiro e novembro, para os amantes da modalidade.

 

Partilhe pelos amigos e faça um LIKE na nossa página. Obrigado! 

 

Os campeonatos nacionais de Trail (eventos até 42 km), Trail Ultra (eventos com mais de 42 km até 69 km) e Trail Ultra Endurance (eventos com mais de 69 km) terão no próximo ano nove, nove e quatro corridas, respetivamente.

De referir que a Prozis é o novo naming partner dos Campeonatos Nacionais de Trail Running em Portugal,  «tendo a organização prevista a participação de mais de 100 mil atletas nos campeonatos e nos eventos candidatos», revela um comunicado, uma clara demonstração do crescimento da modalidade no nosso país. A ATRP, criada em 2012 e hoje com mais de 3000 associados e mais de 200 clubes participantes nas provas dos campeonatos nacionais, é uma instituição associada à Federação Portuguesa de Atletismo.

«A dimensão da modalidade a nível nacional, e todas as particularidades e possibilidades de crescimento que a rodeiam, implicam um maior compromisso da nossa parte, na procura de relações institucionais cada vez mais sólidas e convergentes com a melhoria das condições para a prática do trail em Portugal», defende o presidente da ATRP, João Colaço.

 

Prozis Campeonato Nacional de Trail:

10 de janeiro
Trail Centro Vicentino da Serra, em Portalegre
42 quilómetros, 1.500 metros de desnível positivo (D+);

14 de fevereiro
Poiares Trail, em Poiares
30 quilómetros, 1.092 metros D+

14 de maio
Trilhos das Lampas, em São João das Lampas
20 quilómetros, 530 metros D+

05 de junho
Ultra Trail de Sesimbra, em Sesimbra
21 quilómetros, 1.218 metros D+

19 de junho
Eco Trail Run Azores, em São Miguel
38 quilómetros, 1.600 metros D+

16 de julho
Trail das Poldras, em Vouzela
36 quilómetros, 1.144 metros D+

13 de agosto
Trail Noturno Lagoa de Óbidos, em Óbidos
28 quilómetros, 450 metros D+

11 de setembro
Trail Sôr, em Ponte de Sôr
30 quilómetros, 1.000 metros D+

12 de novembro
Trail Zêzere, em Ferreira do Zêzere
35 quilómetros, 1.538 metros D+
Prozis Campeonato Nacional de Trail Ultra:

30 de janeiro
Ultra Trilhos dos Abutres, em Miranda do Corvo
50 quilómetros, 2.500 metros D+

02 de abril
Inatel Piodão Trail Running, em Piodão
50 quilómetros, 2.818 metros D+

14 de maio
Trail Longo São Mamede, em Portalegre
60 quilómetros, 2.500 metros D+

28 de maio
Azores Trail Running, no Faial
48 quilómetros, 2.300 metros D+

11 de junho
Hard Trail Monte da Padela, em Viana do Castelo
45 quilómetros, 2.000 metros D+

24 de julho
Trail Ultra Porto da Cruz Natura, em Porto da Cruz
45 quilómetros, 2.700 metros D+

07 de agosto
Trilhos Rocha da Pena, em Loulé
50 quilómetros, 2.200 metros D+

08 de outubro
Dura Trail, em Setúbal
53 quilómetros, 2.300 metros D+

20 de novembro
Ultra Trail Amigos da Montanha, em Barcelos
68 quilómetros, 3.000 metros D+

 

Prozis Campeonato Nacional de Trail Ultra Endurance:

23 de abril
Madeira Island Ultra Trail, em Machico
115 quilómetros, 7.000 metros D+

20 de maio
Estrela Grande Trail, em Manteigas
90 quilómetros, 5.300 metros D+

25 de junho
Ultra Trail Serra da Freita, em Arouca
100 quilómetros, 6.000 metros D+

15 de outubro
Ultra Trail Aldeias do Xisto, na Lousã
112 quilómetros, 6.000 metros D+

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos