Bolt despede-se dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro

bolta

O jamaicano Usain Bolt revelou que os Jogos Olímpicos do Rio serão os seus últimos. Numa conferência de imprensa preenchida de jornalistas, o velocista revelou o seu principal objetivo na Cidade Maravilhosa.

 

Partilhe pelos amigos e faça um LIKE na nossa página. Obrigado!

 

«Rio2016 serão os meus últimos Jogos Olímpicos. Muitos não ficarão satisfeitos com esta decisão, mas estou seguro de que não vou voltar atrás. Tenho pensado nisso há muito tempo e acredito que este é o momento certo», afirmou Bolt, de 29 anos, na Cidade das Artes do Rio de Janeiro.

Com seis medalhas de ouro, Bolt garantiu estar preparado para voltar a vencer no Rio.

«Quando somos uma criança sonhamos sempre com eventos como os Jogos Olímpicos. Eu amo competir, é a única coisa que importa. Preparo-me todos os dias para isso. Competir é o que mais gosto de fazer e desfruto das vitórias.»

Bolt revelou ainda na conferência de imprensa qual é o seu principal objetivo no Rio de Janeiro: correr os 200 metros em menos de 19 segundos, algo ainda inédito no Atletismo (o seu recorde mundial, alcançado em Berlim em 2009).

«Será um objetivo complicado de alcançar, já que perdi três semanas de treino devido a uma lesão, mas este é o meu principal objetivo no Rio.»

Bolt correrá na Cidade Maravilhosa os 100 metros (14 de agosto), os 200m (18 de agosto) e os 4x100m (19 de agosto).

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos