Bolt desiste de ser futebolista profissional

«Foi divertido enquanto durou!» Foi desta forma que Usain Bolt revelou ter desistido do seu sonho de ser futebolista profissional. O futuro agora é a voa empresarial…

 

«Foi uma boa experiência. Gostei muito de fazer parte de uma equipa e foi muito diferente do que vivi na pista. Foi divertido enquanto durou», confessou à Reuters. O jamaicano esteve à experiência no Central Coast Mariners, da primeira liga australiana, mas a verdade é que não conseguiu dar o salto que desejava. Recorde-se que Bolt tinha o sonho de ser jogador do Manchester United, sua equipa de coração.

O recordista mundial dos 100 e 200 metros também falou do seu futuro:

«Estou a fazer muitas coisas. É verdade que a vida desportiva acabou, mas tenho vários negócios diferentes, ainda tenho muito que fazer. Estou a experimentar coisas novas e a tentar tornar-me num empresário.»

Além do Central Coast Mariners, Bolt treinou no Stromsgodset, da Noruega, e no Borussia Dortmund, da Alemanha.

LEIA TAMBÉM

Bolt marca dois golos e coloca a bola entre as pernas de um companheiro de treino

A Frequência Cardíaca em Repouso de Jornet, Bolt, Nadal, etc.

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos