Bolt: «Não me surpreendeu o tempo de Coleman, mas…»

O jamaicano Usain Bolt revelou que não ficou surpreendido pelo tempo alcançado por Christian Coleman nos 60 metros (6s37). No entanto, o recordista do Mundo dos 100 e 200 metros tem dúvidas da performance do norte-americano nos 100 metros.

 

«Não, não estou surpreendido nem impressionado com o tempo de Coleman, um dos velocistas jovens mais rápidos nos 60 metros», afirmou o jamaicano Usain Bolt ao Jamaica Gleaner. «Mas temos de ver como ele corre os restantes 40 metros. Já sabíamos que ele era muito rápido nos metros iniciais.»

Recorde-se que Coleman, de 21 anos, terminou na segunda posição no Mundial de Londres, no ano passado, curiosamente à frente de Usain Bolt e atrás de Justin Gatlin, novo campeão do Mundo.

«Recordo ouvir o treinador de Coleman, após o Mundial, que Coleman era muito bom nos primeiros metros, mas que deveria trabalhar os últimos 40 metros. O seu técnico já viu isso. Nesta última parte é onde muitos atletas acabam por falhar. Gostaria de ver Coleman nesses 40 metros na temporada ao ar livre.»

LEIA TAMBÉM
Recorde mundial dos 60 metros pode não ser homologado pela IAAF

Gatlin surpreende tudo e todos e derrota sensação Coleman nos 100 metros

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos