Armando Teixeira e Ester Alves presentes na The North Face Transgrancanaria 2015

armanester

Portugal vai estar presente na prestigiante The North Face Transgrancanaria 2015. Dois dos nomes mais sonantes da prova são Armando Teixeira e Ester Alves, membros da equipa Salomon Suunto. A prova começa já esta sexta-feira, dia 6 de março.

 

A The North Face Transgrancanaria 2015 percorre a ilha de Norte a Sul e de Costa a Costa. No total, 125km com desnível positivo de 8.500 metros, que deve ser concluída no máximo em 30 horas.

De referir que Armando Teixeira e Ester Alves já disputaram a prova. O primeiro alcançou o segundo lugar em 2012, enquanto a segunda terminou na oitava posição no ano passado, na sua estreia na competição.

«Já sentia saudades de voltar à competição e esta é uma prova que me traz ótimas recordações. Gosto do percurso, da ilha e tem uma organização de excelência», refere Armando Teixeira, que terá como principais rivais Iker Karrera e Anton Krupicka, além dos portugueses Carlos Sá e Nuno Silva. Já Ester Alves terá de superar, entre outras, Francesca Canepa, Núria Picas, Emilie Lecomte ou Fernanda Maciel.

De referir que, além da prova principal, o evento apresenta mais quatro corridas, numa competição que conta com cerca de 30 portugueses inscritos.

• Transgrancanaria Advanced: 83 km + 4.700 m/ T. 22 horas.
• Transgrancanaria Maraton: 44 km + 1.365 m/ T. 12 horas.
• Transgrancanaria Starter: 32 km + 818 m/T. 10 horas.
• Transgrancanaria Promo: 17 km + – 470 m/T. 6 horas

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos