Air VaporMax é vocacionado para quem deseja melhorar o seu tempo

Um dos principais modelos da história da Nike, o Air Max comemora este ano mais um aniversário. A marca norte-americana decidiu presentear o “aniversariante” com o novo Air VaporMax, um ténis dirigido aos corredores mais rápidos.

 

Segundo a Nike, o Air VaporMax não apresenta uma meia sola de espuma como nos anteriores modelos (esta é, aliás, a principal novidade), o que retira peso e volume ao ténis, «que apresenta uma maior flexibilidade e impulsividade, sem comprometer a estrutura do mesmo», podemos ler em algumas das revistas especialistas que já testaram a nova “bomba” da Nike, que garante que o modelo proporciona ao corredor um amortecimento mais ligeiro, consistente e duradouro, ou seja, o sonho de todo o corrredor.

Nota também para o tecido Flyknit, que adapta melhor o calçado ao nosso pé, sem retirar no entanto a flexibilidade do modelo, algo essencial para o nosso conforto.

LEIA TAMBÉM
ASICS revela novos modelos com a tecnologia FlytFoam

Recorde-se que foi nos anos 80, concretamente em 1987, que a Nike lançou o Nike Air Max original. No entanto, a explosão do modelo ocorreu com o inovador Nike Air Max 97, que revolucionou o mercado devido a sua tecnologia de amortecimento distribuída ao longo de toda a meia sola, mas não podemos também ignorar a possibilidade de todos conseguirem ver a “câmara de ar” a funcionar.

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos