África tem finalmente uma etapa da Liga Diamante

diamond

Continente com os principais corredores de meia e longa distância, África não tinha uma etapa da Liga Diamante (IAAF Diamond League, com a primeira edição a ser realizada em 2010 – substitui a IAAF Golden League, disputada entre 1998 e 2009), a principal competição mundial do Atletismo. O “erro” foi agora corrigido…

 

Partilhe pelos amigos e faça um LIKE na nossa página. Obrigado! 

 

O primeiro Meeting de Atletismo do circuito Liga Diamante em África acontecerá a 22 de maio, em Rabat, capital de Marrocos, o que faz com que a prova esteja agora em quatro continentes: além de África, os principais nomes do atletismo mundial passarão pela Europa, Ásia e América.

Rabat ocupa o espaço de Nova Iorque, com os Estados Unidos a organizar a prova de Eugene, no Oregon. De referir que Marrocos concorreu com Pequim e Ostrava, na República Checa, mas acabou por ser escolhida pela entidade que rege o atletismo mundial, a IAAF.

trophydiamond
O Diamond Trophy, entregue aos 16 vencedores das categorias que compõem a Liga Diamante, tanto no feminino como no masculino

 

O programa deste ano é o seguinte:

06 de maio: Doha (Qatar)
14 de maio: Xangai (China)
22 de maio: Rabat (Marrocos)
28 de maio: Eugene (Estados Unidos)
02 de junho: Roma (Itália)
05 de junho: Birmingham (Inglaterra)
09 de junho: Oslo (Noruega)
16 de junho: Estocolmo (Suécia)
15 de julho: Mónaco (Principado do Mónaco)
22-23 de julho: Londres (Inglaterra)
25 de agosto: Lausana (Suíça)
27 de agosto: Paris (França)
01 de setembro: Zurique (Suíça) – Finais
09 de setembro: Bruxelas (Bélgica) – Finais

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos