20 km marcha: ouro para a China, brasileiro Caio Bonfim em quarto e português João Vieira em 31.º

marcha
Na segunda prova do dia com medalhas no Atletismo nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, o Brasil quase comemorou a medalha de bronze com Caio Bonfim nos 20 km marcha. Numa prova ganha pelo chinês Zhen Wang, João Vieira foi o melhor português, na 31.ª posição.

 

Partilhe pelos amigos e faça um LIKE na nossa página. Obrigado!

 

Wang confirmou o favoritismo e, numa prova de recuperação, alcançou o tempo de 1h19m14, menos 12 segundos que o compatriota Zelin Cai.

Disputa grande também houve pela medalha de bronze, com o australiano Dane Bird-Smith a levar para a Oceania o metal, com o registo de 1h19m37, menos cinco segundos que o brasileiro Caio Bonfim, para desilusão da “torcida”, que puxou pelo corredor nos quilómetros finais, mas em vão.

Em relação aos portugueses, os irmãos João Vieira e Sérgio Vieira terminam na 31.ª (1h23m03) e 53.ª (1h27m39) posições, respetivamente.

Nota também para os brasileiros Moacir Zimmermann (63.º, 1h33m58) e José Alessandro Bagio, que abandonou devido a lesão.

LEIA TAMBÉM:

Almaz Ayana conquista a primeira medalha do Atletismo nos Jogos do Rio com recorde do mundo

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos