Cinco conselhos para correr os 285 km da Ultramilano-Sanremo

Quais os segredos para aguentarmos 285 quilómetros a correr durante cerca de 31 horas? João Oliveira, por três vezes seguida, venceu a Ultramilano-Sanremo. O português revela hoje e amanhã 10 conselhos para ultrapassar este desafio. No quarto dia d´«A Semana do tricampeão João Oliveira», os primeiros cinco.
1. Antes de se inscreverem numa prova com esta distância é aconselhável praticar distâncias longas, pelo menos de 30 km, em treinos, mas também fazer provas de 100 km inseridas no plano de treinos

2. Treinar para alcançar os limites pessoais e não desistir só porque aparecem obstáculos. Os mesmos terão amanhã a sua graça aquando da ultrapassagem de outros.

3. Admirar e aplaudir todos os bons desempenhos, mesmo que sejam realizados pelo adversário. Isso nos motiva a superar essa mesma perfomance.

4. Controlar o temperamento do corpo e evitar comportamentos agressivos para quem está na organização, que não têm culpa de que as coisas estejam a correr mal. Eles procuram fazer sempre o melhor e, na maioria das vezes, são voluntários.

5. A alimentação na preparação é essencial. Comer alimentos ricos em sais, fibras, magnésio e proteína.

LEIA TAMBÉM

João Oliveira alcançou a terceira vitória seguida nos 285 km da Ultramilano-Sanremo

Um dorsal chamado Oliveira que na verdade devia ser João

O «tontinho» João Oliveira correu sozinho contra as estafetas

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos