Como tratar da fasceíte plantar

Depois de revelar o que é e os sintomas mais frequentes, o fisioterapeuta/osteoetiopata Pedro Carmona, especialista em Fisioterapia no Desporto, da Go Fisio, revela neste artigo como tratar da fasceíte plantar, que apoquenta milhares de corredores.

 

Cerca de 90% das situações de fasceíte plantar resolvem-se através de tratamentos conservadores, enquanto 10% necessitam de tratamento cirúrgico.

Os objectivos do tratamento passam por reduzir a dor e melhorar a qualidade de vida, permitindo o retorno às actividades físicas do dia-a-dia, assim como às desportivas. Existem diversas modalidades disponíveis, nomeadamente farmacológicas, instrumentais, físicas e cirúrgicas:

  • Os anti-inflamatórios não esteróides caíram em desuso, pois não existe um processo inflamatório. Ainda se recorre à injecção de corticoesteróides, mas deve-se ter atenção aos efeitos secundários (rotura fascial e infecção)
  • A terapia instrumental incui laser, ondas de choque, iontoforese e ultra-som
  • Na terapia com meios físicos incluem-se massagem, tratamentos manipulativos, crioterapia, exercícios de alongamento para o pé e membro inferior, ligaduras e ligaduras neuromusculares
  • Mais recentemente, o treino com cargas elevadas tem mostrado indícios de poder contribuir para uma redução na dor e uma melhoria na função mais rápidas.

LEIA TAMBÉM
Fasceíte Plantar: um problema que não larga os corredores…

De referir que é fundamental consultar um profissional de saúde (médico, fisioterapeuta) que faça um diagnóstico adequado, que indicará qual o melhor método de tratamento a seguir.

Bibliografia:

Salvioli, S., Guidi, M., Marcotulli G. (2017) The effectiveness of conservative, non- pharmacological treatment, of plantar heel pain: A systematic review with meta-analysis. The Foot, 33, 57-67.

Thompson, J., Saini, S., Reb, C., Daniel, J. (2014) Diagnosis and Treatment of Plantar Fasciitis. The Journal of American Ostheopathic Association, 114 vol.2, 900-906.

Petraglia, F., Ramazzina, I., Costantino, C. (2017) Plantar fasciitis in athletes: diagnostic and treatment strategies. A systematic review. Muscles, Ligaments and Tendons Journal, 7 (1), 107-118.

Rathleff, M., Molgaard, C., Fredberg, U., Kaalund, S., Andersen, K., Jensen, T., Aaskov, S., Olesen, J., (2014) High-load strength training improves outcome in patients with plantar fasciitis: A randomized controlled trial with 12-month follow-up. Scandinavian Journal of Medicine & Science in Sports.

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos