Cheesecake de quark e groselha como sobremesa para a Ceia de Natal

No último dia d´«A Semana “Sem culpa, com Sabor – Receitas saudáveis para todos”», oportunidade para conhecermos uma sobremesa para a Ceia de Natal da nutricionista Ana Bravo, autora do livro editado pela Arena.

 

CHEESECAKE DE QUARK E GROSELHA

 

 

INFREDIENTES

1 colher de sopa de flocos de aveia

2 colheres de sopa de flocos de trigo integral

2 ameixas pretas, secas 2 nozes

125 g de queijo quark

groselhas (q. b.)

1 colher de chá de mel (opcional)

 

PREPARAÇÃO

Lave as groselhas. Num liquidificador, bata-as juntamente com o mel e o queijo quark.

Corte as ameixas em pedaços, rejeitando os caroços, e coloque-as num processador, acrescentando as nozes, a aveia e os flocos de trigo. Processe até se formar uma espécie de farinha.

Com a ajuda de um molde, disponha a farinha de ameixa num prato de servir e coloque por cima o creme que fez no liquidificador e uma colher de sopa de groselhas.

Guarde no frigorífico até à hora de servir. Enfeite com mais groselhas.

LEIA TAMBÉM

Olha a tapioca verde com frango e cogumelos

Ana Bravo oferece receitas sem glúten, sem lactose, sem ovo e sem açúcar

Frango com requeijão na noite de Natal

Sem culpa de comer legumes no forno com queijo e caril

 

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos