Conheça o segredo do triatleta Patrick Lange na corrida

Um dos grandes nomes do triatlo mundial, bicampeão do Mundo Ironman em 2017 e 2018, Patrick Lange tem na corrida o seu mais forte segmento. Na atualidade, é complicado encontrar alguém mais rápido que o alemão, que desvendou o seu segredo.

Numa entrevista ao jornal Deutsche Welle, um dos principais da Alemanha, o alemão Patrick Lange revelou os motivos pelos quais é o mais rápido do pelotão no segmento da corrida:

«Acredito ser o primeiro triatleta profissional que trabalha com um treinador de técnica de corrida desde os últimos dez anos (…) O modelo que temos de seguir é a técnica dos africanos, que apresentam um estilo de correr completamente silencioso. Um corredor normal tende a “golpear” os seus pés contra o solo, mas a verdade é que isso é um desperdício de energia. Se pretendes correr rápido, deves gastar o mínimo de energia possível.»

LEIA TAMBÉM
Christophe Nonorgue fixa novo recorde de desnível positivo num só dia

Ou seja, além de acumular quilómetros tendo em vista a redução da fadiga (o objetivo é adaptar o nosso corpo ao esforço), segundo Patrick Lange é obrigatório treinar a técnica.

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos