Conheça os pré-requisitos para correr uma Maratona…

corresemlesoes

No segundo dia d´«A Semana “Corre sem Lesões”, obra editada pela Esfera dos Livros, Ernesto Ferreira salienta que é necessário deixar de «tratar a maratona por tu, e passar a tratá–la por Exma. Sra. D. Maratona». Tudo devido a banalização da corrida, que acaba por causar inúmeras lesões devido a má preparação.

 

Partilhe pelos amigos e faça um LIKE na nossa página. Obrigado!

 

Correr uma maratona…
Porque o sonho comanda a vida

Reza a lenda, num longínquo ano de 490 a.C., quando os soldados gregos partiram para a planície de Maratona, para combater os Persas, que suas mulheres ficaram com indicação de que se não recebessem a notícia de vitória em vinte e quatro horas, deveriam matar seus filhos e, em seguida, suicidarem-se. Isto porque os inimigos haviam jurado que depois da batalha marchariam sobre Atenas, onde iriam violar suas mulheres e sacrificar seus filhos.

A batalha foi ganha pelos Gregos, mas a luta durou mais tempo que o previsto, de modo que temeram que suas mulheres executassem o plano. Para evitar tal desfecho, o general grego Milcíades ordenou que o seu soldado Fidípides, considerado o melhor corredor, fosse a Atenas, situada a cerca de quarenta quilómetros, o mais rápido possível, levar a notícia. Fidípides correu o mais célere que pôde, e reza a lenda que ao chegar, apenas conseguiu dizer «Vencemos!», e caiu morto pelo esforço.

Segundo os historiadores, esta é uma versão romanceada da história.

corresemlesoes1Na realidade, Fidípides foi enviado antes da batalha a várias cidades gregas para pedir ajuda tendo corrido cerca de duzentos e quarenta quilómetros em dois dias, voltando para a batalha com os reforços tão desejados para vencer os Persas. Só após a batalha, foi a correr até Atenas para anunciar a vitória e então morrer devido ao esforço.

Independentemente de qual é a verdadeira história, em 1896, aquando da criação dos primeiros Jogos Olímpicos da Era Moderna, Fidípedes foi homenageado com a criação desta prova, cuja distância foi estipulada em cerca de quarenta quilómetros, distância aproximada entre Maratona e Atenas. Esta primeira prova foi ganha pelo grego Spiridon Louis em 2h58m50s. Mas desde 1921, tornou -se oficialmente na distância de 42,195km, depois de ser disputada nesta extensão em Londres, no ano de 1908.

A grande maioria dos atletas que participa numa maratona não o faz para vencer. O mais importante para os corredores amadores é terminá-la, é correr contra si mesmo, é conseguir ser cada vez mais rápido à medida que se vão completando mais maratonas. Um dos principais objetivos do corredor amador é quebrar determinada barreira de tempo. Os mais lentos treinam com a finalidade de baixar da quatro horas, e os mais competitivos tentam fazê-la em menos de três horas.

Quando se decide fazer uma maratona e enfrentar uma distância tão longa, também é necessário muito empenho para alcançar este objetivo. É preciso destinar tempo para os treinos, ser disciplinado, abdicar de muita coisa e alimentar-se adequadamente. Procurar uma orientação profissional é um bom princípio para que tudo corra pelo melhor.

Preparar uma maratona é um processo longo e que deve ser encarado com muito rigor – todos os treinos são importantes –, mas será que esta prova mítica está ao alcance de todos? Eu diria que sim! Mas existem, com certeza, alguns requisitos, além de toda a dedicação que é necessária para a enfrentar.

Os pré-requisitos necessários para realizar uma maratona dependem de vários fatores, entre os quais o passado desportivo do atleta e o estado da sua forma física. Mas qual é a hora certa para correr uma maratona?

Tudo depende da maneira como se quer encará-la, eu diria que, se quiserem ter uma boa experiência, os tais pré -requisitos são necessários.

Se por outro lado, quiserem fazê-la sem o treino adequado, muito provavelmente irá ser uma experiência terrível que não quererão repetir. Quais são então, no meu entender, os pré-requisitos para encarar esta distância mítica da melhor forma?

São os seguintes:

> correr há pelo menos dois anos;
> ter realizado pelo menos uma dezena de provas de dez quilómetros e quatro meias maratonas;
> fazer um plano de treinos de dezasseis semanas.

Está na hora de deixar de «tratar a maratona por tu, e passar a tratá–la por Exma. Sra. D. Maratona». Infelizmente banalizou -se de mais esta prova, sendo cada vez mais frequente encontrar atletas com muito pouca experiência e em má condição física a realizarem-na, com todas as consequências que daí advêm para a saúde.

É legítimo todos os atletas sonharem fazer uma maratona, mas há que trabalhar para isso e saber esperar pela altura certa para a fazer, de forma que esta experiência seja recordada como um momento de superação e felicidade.

LEIA TAMBÉM:

Receita para evitar lesões

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos