Como reparar um furo

No último dia d´«A Semana “O Livro da Bicicleta”», editado pela Esfera do Livro, Miguel Barroso revela como reparar um furo, uma situação normal para quem anda em duas rodas.

 

Acontece a todos! Vamos descansados a pedalar e quando damos conta temos o pneu em baixo. Bem, na maior parte das vezes sabemos perfeitamente o que sucedeu: foi o lancil que subimos sem cuidado, ou aquele buraco gigante que se “abriu” no asfalto mesmo por baixo das nossas rodas! Os furos podem suceder nas situações mais inesperadas e por vezes temos mesmo de resolver o problema no local, sob risco de ficarmos no meio do nada sem sermos capazes de regressar a tempo do compromisso que tínhamos combinado.

 

 

Por isso é bom andarmos sempre com algo que nos ajude a resolver o problemae isso significa, para além de ter o equipamento certo (algo para desmontar os pneus, bomba para os voltar a encher, e uma câmara‑de‑ar ou remendos), saber o que fazer com esse equipamento.

Há quem consiga remendar um pneu sem desmontar a roda. É possível mas dá muito trabalho, por isso o melhor é começar por desmontar o mesmo. Se as rodas tiverem aperto rápido, é mais fácil. Caso contrário, necessita de ter as chaves necessárias para o fazer. A não ser que a bicicleta tenha travão de disco, terá de abrir os travões primeiro.

 

 

Os V‑brakes são fáceis e rapidamente se retira a roda sem problema. Se for a roda de trás, preste atenção ao modo como ela sai, pois quando voltar a colocar a roda, a cassete, a corrente e o desviador têm de encaixar da mesma forma.

Já com a roda retirada, deverá utilizar pelo menos dois desmonta‑pneus para soltar o pneu do aro (cuidado para não danificar ainda mais a câmara‑de‑ar com os “desmontas”). Depois, com as mãos, retire o resto do pneu do aro. Localize a válvula e, com cuidado, solte a câmara‑de‑ar.

 

 

Caso não tenha uma câmara‑de‑ar suplente, deverá localizar o furo primeiro. Para tal, encha com um pouco de ar até ficar sobre pressão, e procure por onde o mesmo está a sair. Assim que o encontre, não
largue esse ponto mas volte a retirar o ar. Utilize um pouco de lixa que vem nas caixas de remendos, para melhorar a capacidade de aderência da borracha. Escolha um remendo com a dimensão adequada ao furo. Hoje já há remendos autocolantes, mas, se não tiver destes, deve aplicar a cola vulcanizadora na zona a colar e aguardar um pouco até ficar quase seca.

Aproveite este compasso de espera para verificar se não há nenhum espinho ou vidro no pneu (que poderia voltar a furar a câmara‑de‑ar assim que a montasse). Retire a película prateada e não toque na parte do remendo que ficou agora exposta. Coloque o remendo no local com cola, e aplique bastante força durante alguns instantes. Retire a película transparente, partindo a mesma e retirando a partir do centro. 

 

Se possível, aplique um pouco de pó fino na zona colada, para evitar que esta se cole ao pneu. Volte a encher um pouco a câmara‑de‑ar, só o suficiente para que esta retome a sua forma, e coloque‑a dentro
do pneu. Insira a válvula no furo do aro e, utilizando as mãos, coloque o pneu quase todo dentro do aro. Com a ajuda dos “desmontas”, coloque o resto do pneu no aro. Utiliza as mão para ajustar tudo, e verifique se o pneu ficou todo bem encaixado e se nenhuma parte da câmara-de-ar ficou entalada nos flancos do pneu. Por fim, volte a encher até à pressão habitual. O pneu está pronto a ser montado de volta na sua bicicleta!

 

LEIA TAMBÉM

Saiba como pedalar sem medo no meio do trânsito

Usar ou não capacete quando ando de bicicleta, eis a questão?

Pagar 1000 euros por uma bicicleta talvez não seja tão caro…

Uma revolução urbana chamada bicicleta

Rodrigo Machado pedalou mais de 1000 km pela Islândia

 

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

Gostou? Partilhe pelos amigos